Arquivo da Tag: "TAQUES"
08
11

Em pauta, desfiliação do governador Pedro Taques

O governador Pedro Taques (PSDB), que se encontra na China, disse ao jornalista Pablo Rodrigo, do Hipernotícias, que na próxima semana terá “uma reunião com seu grupo político” para definir se fica ou se deixa o partido.]

 

Articulação em curso
O deputado federal Nilson Leitão, que deixa o comando do PSDB em Mato Grosso na próxima sexta-feira, 10, vem mantendo intensa articulação para assegurar sua candidatura ao Senado no próximo ano.

 

Conversas
O tucano pediu agenda com o ministro Blairo Maggi (PP) e com o ex-senador Jayme Campos (DEM) para discutir o processo eleitoral. Com Jayme, Nilson deve se encontrar nesta quinta, 9, em Várzea Grande. Blairo ainda não havia definido a agenda com Leitão até a publicação desta coluna.

 

Palanque contrariado
Nos encontros com Blairo e Jayme, Nilson Leitão deve se colocar à disposição dos prováveis aliados para disputar uma das vagas ao Senado no próximo ano. No PSDB já está definido pela direção estadual que Leitão disputará a senatória, contrariando os interesses do governador, que disputará a reeleição.

 

Palanque idealizado
Pedro Taques não quer Mauro Mendes (que deixará o PSB) fora do seu palanque, particularmente como adversário. Ele quer oferecer a Mendes uma das vagas ao Senado e sonha em ter Blairo Maggi na outra vaga. E para contemplar o DEM, Jayme Campos como vice.

 

Estopim da crise
Em recente reunião do diretório estadual do PSDB, Nilson Leitão aventou a possibilidade do partido não ter Taques como candidato, segundo fontes tucanas que participaram do encontro. A motivação seria a avaliação de que Taques carrega grande desgaste e, supostamente, um alto nível de rejeição. Essa reunião foi o estopim da crise que pode levar Taques a deixar o PSDB.

 

E o vice?
Governando Mato Grosso interinamente, Carlos Fávaro (PSD) também tem pretensões eleitorais. Fontes palacianas asseguram que o vice-governador está pronto para qualquer disputa, seja para a Câmara Federal, seja para o Senado ou até para o Governo, caso Taques recue do projeto de reeleição. As mesmas fontes garantem que Fávaro tem sólido apoio do Agronegócio.

 

Criticado
O secretário de Saúde, Luiz Soares, vem sendo alvo de duras críticas, especialmente de parlamentares. Entre as críticas está o fato dele não atender prefeitos e deputados e de reduzir os gastos com hospitais conveniados.

 

Contratos
De fato o secretario de Saúde vem repactuando os contratos com filantrópicos e com as OSS. Está determinado a pagar apenas pelos serviços efetivamente realizados. Isso é zelo com o erário. Coisa de gente honesta e de elevado espírito público.

06
11

Insatisfação de Taques com o PSDB é real

A insatisfação do governador Pedro Taques com o PSDB existe, assim como a insatisfação de filiados ao PSDB com Taques também é verdadeira. No entanto, a sigla não quer deixar escapar o chefe do Executivo, que mira a reeleição em 2018. Diante disso, na última semana, escolheram para presidir a legenda Paulo Borges, ex-vereador que atualmente integra o staff de Taques. De perfil conciliador, a principal missão de Borges será apaziguar a situação.

 

Aclamado
Paulo Borges será conduzido ao cargo de presidente estadual do PSDB por aclamação. O secretário de estado Carlos Avalone chegou a colocar seu nome para disputar o cargo, mas com o entendimento da maioria por Borges, desistiu. A nova diretoria será escolhida na próxima sexta-feira (10).

 

Insatisfação geral
O descontentamento de Taques se daria porque no momento de dificuldade que o Governo passa, os integrantes do partido não estariam dando apoio suficiente ao gestor. Por outro lado, prefeitos, deputados e vereadores estariam insatisfeitos com Taques em razão de sua forma de governar. Vale ressaltar que o principal problema seria o atraso de repasses.

 

Senado sim
Além da falta de apoio, o governador Pedro Taques também não teria “engolido” a deliberação da legenda de lançar Nilson Leitão candidato ao Senado. Para Taques, o PSDB não teria condições de “bancar” duas candidaturas majoritárias. No entanto, a maioria dos integrantes do partido entendeu que como em 2018 estarão em jogo duas vagas ao Senado, haveria sim legitimidade por parte do agremiação para pleitear uma delas.

 

Precavidos
Embora ainda não tenha discutido com nenhuma liderança do partido seu desejo de sair do PSDB, internamente já há um esforço para demover Pedro Taques da ideia. “Estamos nos precavendo. Queremos tirar ele dessa ideia de deixar o partido. Ele ainda não falou com a gente, mas onde há fumaça, há fogo”, disse uma das fontes da coluna sobre as notícias de que o governador cogita ir para o PPS.

 

Novo ataque
O ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), sofreu um novo ataque. Desta vez de um tal Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos que divulgou matéria informando que a joint venture formada pela Amaggi e a empresa holandesa Louis Dreyfus Company, possui uma off shore na Ilhas Cayman.

 

Maledicência
A matéria, divulgada pelo UOL e outros sites locais, se empenha em sugerir que há algo “estranho” no fato de Blairo Maggi e outros sócios da Amaggi serem beneficiários da off shore. A própria matéria, no entanto, traz declaração do ex-chefe da Receita Federal, Everardo Maciel, e do professor da USP Heleno Torres, especialistas em tributação, dando conta de que não há irregularidade no caso.

 

Presidenciáveis
Além de Blairo Maggi, cogitado como vice de Geraldo Alckmim (PSDB) na campanha presidencial do próximo ano, também o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, virtual candidato a presidente da República, é citado como dono de uma off shore.

 

Expectativa frustrada
A frustração de R$ 1,7 bilhão em receitas orçamentárias comprometeram definitivamente as finanças públicas estaduais. O valor estava previsto na Lei Orçamentária Anual (LOA 2017), aprovada em 2016 e decorria de operações de crédito que não se efetivaram e nem ocorrerão este ano.

 

Orçamento furado
Outro problema enfrentado por diversos setores do governo é o déficit orçamentário, o que tem impedido o empenho de serviços prestados por fornecedores do Estado.

 

DEM é favorito
O Democratas é o partido preferencial dos parlamentares e líderes políticos que deixaram ou vão deixar o PSB em Mato Grosso. A revelação é do deputado federal Fábio Garcia, que já deixou o partido. Ele, no entanto, diz que não houve a decisão ainda e que conversa com outros partidos, caso do PP, PR, PSDB e PSD.

21
09

Taques X Perri: Guerra declarada

A decisão do desembargador Orlando de Almeida Perri de afastar do cargo o secretário de Segurança, Rogers Jarbas, e determinar que ele seja monitorado por uma tornozeleira deflagrou a guerra entre o magistrado e o governador Pedro Taques (PSDB), que irá acionar o desembargador no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
Apoio
Ao seguir para o Fórum para a colocação da tornozeleira, Jarbas contou com o apoio de diversos delegados e policiais civis que seguiram com ele. Desnecessário dizer que a crise institucional existe, é grave, profunda e de difícil resolução.
Vaiados
Por outro lado, o delegado Flávio Stringueta, que havia se distanciado das investigações da Grampolândia, foi vaiado no Fórum pelos mesmos apoiadores do secretário afastado. Algo que precisa ser esclarecido é se este afastamento permanece ou se ele está atuando na investigação.
Parcial
Cancelando agenda no interior do Estado, Taques foi duro ao falar de Perri. Ele classificou o desembargador como parcial e a decisão contra Jarbas de esdrúxula e absurda e prometeu recorrer do afastamento. Para o governador, Perri perdeu a imparcialidade necessária para conduzir a investigação.
Contra
Aliás, o Ministério Público Estadual (MP) foi contra o afastamento de Jarbas, mas o parecer do órgão foi ignorado pelo desembargador. Outra crise que pode se tornar institucional em breve, uma vez que esta não é a primeira vez que o magistrado ignora o posicionamento do MP.
Substituto
Embora acredite que a decisão de Perri seja revertida em breve, Taques já estuda quem será o novo titular da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp). O mais provável é que algum dos secretários adjuntos seja alçado à condição de titular.
À espera
O ex-prefeito de Acorizal, Meraldo Sá (PSD), está aguardando a convocação por parte da Assembleia Legislativa para ocupar a cadeira do deputado afastado, Gilmar Fabris (PSD), preso preventivamente por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).
Semana que vem
O mais provável, se a decisão do ministro Luiz Fux não for revista, é que a posse de Sá ocorra já na próxima semana. Até lá é esperada a resposta a uma consulta feita pelo presidente do Legislativo, Eduardo Botelho (PSB), sobre a situação de Fabris.
Mais bomba
O ex-deputado José Geraldo Riva desistiu de uma série de recursos que tramitavam no Supremo Tribunal Federal (STF). Este é mais um indício de que está próxima a data em que seu acordo de colaboração com o Ministério Público será homologado. Se isso se confirmar, será momento de mais choro e ranger de dentes na classe política.
25
05

Blog do Mauro no Hipernotícias

 

Até tu?

Um terminal telefônico oficial da Procuradoria Geral de Justiça utilizado pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) foi interceptado no esquema de escutas clandestinas. O número, que estava à disposição de uma oficial da Polícia Militar que atuava no Grupo, foi identificado em uma das decisões judiciais usadas para a chamada “barriga de aluguel”.

 

Estratégico

Na ocasião, quatro grandes operações estavam em andamento no Gaeco: Metástase, Chacal, Seven e Rêmora. As duas últimas apuravam denúncias de corrupção. O coordenador do Gaeco, promotor de Justiça Marcos Bulhões dos Santos, encaminhou ofício relatando os fatos.

 

Tranquilo

Citado como autor da compra de equipamentos que foram usados no Comando Geral da Polícia Militar, o hoje secretário da Casa Militar, Evandro Alexandre Ferraz Lesco, estava bem tranquilo nesta quarta-feira (24), no Palácio Paiaguás.

 

Saúde

O Governo de Mato Grosso anunciou que irá colocar em prática um plano emergencial para minimizar o caos no sistema de Saúde do Estado. Parte destes recursos deverá vir da redução do repasse aos poderes e da incorporação de parte do que é arrecadado junto ao setor produtivo por conta do Fethab.

 

Passivo

O tema foi discutido entre o governador Pedro Taques (PSDB), diversos secretários e 17 dos 19 deputados que compõem a base de apoio de seu governo. De acordo com o secretário de Saúde, Luiz Soares há um passivo de R$ 162 milhões relativos aos repasses aos hospitais regionais. A meta é zerar esse passivo até a primeira quinzena de junho.

 

Frustração

De acordo com a equipe econômica, apenas no primeiro quadrimestre de 2017 o Estado sofreu uma frustração de receita da ordem de R$ 250 milhões. Apenas com ICMS, a queda em relação à arrecadação prevista no período foi de R$ 100 milhões, o que agravou o problema da Saúde.

 

RGA

Além da questão da Saúde, Taques e os parlamentares debateram a Revisão Geral Anual (RGA) do funcionalismo público, que deveria ter sido implementada neste mês de maio. O Estado ainda prepara uma proposta que deverá, em breve, ser apresentada aos servidores.

 

Renan atua

A possibilidade de uma troca no comando do país, cujo próximo presidente seria chancelado pelos ex-presidentes José Sarney, Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, não passa de mais uma manobra do senador Renan Calheiros (PMDB/AL). Picado pela mosca azul, ele estaria sonhando em ocupar o cargo que hoje está com Michel Temer (PMDB). O difícil, neste caso, seria ele conseguir se segurar na cadeira por mais de 30 minutos.

 

Temer não cai

De uma fonte bem próxima do Palácio do Planalto, a coluna obteve a informação de que, caso consiga superar os próximos dias, Temer permanecerá no poder. “Se o [procurador Rodrigo] Janot não tiver mais nenhuma munição contra ele, ele não cai”. É esperar para ver.

 

Pegando fogo

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), estava no prédio em que funciona o ministério no momento em que vândalos que protestavam em Brasília atacaram a edificação. “Eles colocaram fogo na recepção, danificando as instalações. Ainda não sabemos a soma dos prejuízos. É lamentável que as manifestações acabem em vandalismo. Isso é péssimo para a democracia brasileira. Ninguém ganha com isso”, afirmou.

18
05

Caminho sem volta

A simples existência das gravações supostamente feitas pelo empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, do presidente Michel Temer (PMDB) dando aval para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) tira toda possibilidade de que o peemedebista, que assumiu o cargo com o impeachment de Dilma Rousseff (PT), permaneça no cargo.

 

Mala de dinheiro

A gravação teria flagrado Temer indicando o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB/PR) para resolver um assunto relacionado à holding que controla a JBS. Tempos depois o parlamentar foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil. Ele ouviu do empresário que estava ocorrendo o pagamento de uma mesada a Cunha e disse: “Tem que manter isso, viu?”.

 

Aécio também

Já o senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, foi gravado pedindo R$ 2 milhões a um dos donos da JBS. A quantia teria sido entregue a um primo de Neves, episódio também filmado.

 

Clima de velório

Tão logo foi revelada a existência da gravação, que faz parte de um acordo de colaboração firmado por Batista, pelo jornalista Lauro Jardim, o clima no Palácio do Planalto ficou semelhante a um velório. No centro do gabinete presidencial, o “corpo” de Temer, cada vez mais perto do precipício. A descrição foi passada à coluna por um integrante da base do peemedebista.

 

Ele nega

Por meio de nota, o (ainda) presidente negou ter feito qualquer tipo de solicitação para Batista em relação a Cunha. Temer admitiu ter se encontrado com o empresário em março deste ano, mas alegou que não houve nenhum diálogo que comprometesse a postura do presidente.

 

Diretas

Caso Temer renuncie, a Constituição prevê a realização de eleição indireta, por meio do Congresso Nacional. No entanto, começa a circular nas redes sociais uma imagem do ex-governador Dante de Oliveira trajando a célebre camiseta em defesa de eleições diretas. Uma eleição direta, nesta altura do mandato, não é prevista na Constituição.

 

Representação

Em Mato Grosso, o governador Pedro Taques (PSDB), que está em viagem aos Estados Unidos, protocolou duas representações contra o promotor Mauro Zaque, junto à Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ) e ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). A medida já havia sido anunciada pelo governador na semana passada.

 

Três crimes

Nas representações, Taques acusa Zaque, ex-secretário de Segurança Pública, de ter praticado três crimes: falsificação de documento público, denunciação caluniosa e prevaricação – pois teria deixado de praticar ato de ofício inerente à função ocupada.

 

Desculpas

Já o secretário do Gabinete de Comunicação do Governo, Kleber Lima, pediu desculpas publicamente à deputada estadual Janaina Riva (PMDB), por conta do compartilhamento de uma foto em que a deputada aparece de camisola. A imagem já circulava em aplicativos de smartphone para troca de mensagens antes que Lima as encaminhasse a alguns de seus contatos.

 

Cautela

É preciso que os atores do episódio dos grampos clandestinos adotem a cautela para falarem do assunto. Declarações desastradas, dadas nas últimas horas, ao invés de garantir a serenidade necessária para uma investigação séria, aumenta a histeria.

 

14
04

As últimas do Paiaguás

 

Sem meio termo

 

Para o Palácio Paiaguás não existe deputado independente. Ou faz parte da base ou é de oposição. Não são toleradas críticas públicas, muito menos atuação parlamentar que questione atos do governo.

 

 

Ousadia

 

O deputado republicano Emanuel Pinheiro ousou declarar-se independente e questionar o projeto Bom Pagador, aquela indecência que obriga fornecedores e prestadores de serviço com créditos inscritos em restos a pagar a oferecerem descontos de até 50% e parcelamento em até 42 meses. Foi o que bastou para uma reação dura do Paiaguás.

 

 

Atrevimento

 

Emanuel Pinheiro, aliás, foi muito além do tolerável. Atreveu-se a exercer seu papel constitucional de fiscalizador dos atos do Executivo e convocou o secretário de Fazenda, Paulo Brustolin, para explicações sobre as finanças estaduais.

 

 

Punição

 

Assim, aos olhos do Paiaguás, Emanuel Pinheiro faz parte da oposição e por isso passa a receber tratamento exemplar. Seus indicados para cargos no governo foram todos demitidos, conforme publicado no Diário Oficial de ontem. Pinheiro já havia sido alertado de que isso aconteceria, caso mantivesse sua independência.

 

 

Na oposição

 

Emanuel Pinheiro – assim como já aconteceu com o deputado pedetista Zeca Viana, presidente do partido do governador – foi empurrado para a oposição, que é onde devem estar aqueles que não se submetem aos desígnios de Sua Majestade Imperial.

 

 

18
12

Brustolin deve assumir a Sefaz

O diretor executivo da Unimed, Paulo Brustolin, deverá ser o secretário de Fazenda na gestão do governador eleito Pedro Taques (PDT). Brustolin havia recusado o convite para assumir a pasta de Saúde, mas acabou sendo convencido a participar do novo governo. O anúncio formal está previsto para acontecer na próxima segunda-feira, durante audiência pública em que Pedro Taques vai apresentar o diagnóstico da situação financeira do Estado.

 

01
02

Taques deseja sucesso a Renan e diz que não se sente derrotado

Por Karine Melo

Agência Brasil

Brasília – Ao deixar o plenário do Senado hoje (1º), o candidato derrotado à presidência da casa, Pedro Taques (PDT-MT), parabenizou o senador Renan Calheiros (PMDB- AL) pela eleição e falou da expectativa para esta legislatura. “Nós confiamos que o senador Renan Calheiros, e a mesa que será eleita agora à tarde, possa de alguma maneira mostrar para a sociedade brasileira que aqui nós estamos para servir a sociedade e não para nos servirmos da sociedade”, disse. (mais…)

01
02

Taques defende sua candidatura no Senado

DEU NA GAZETA

A eleição será realizada durante reunião preparatória  no Plenário, e será comandada pelo atual presidente, José Sarney. O nome do novo presidente será decidido por maioria simples de votos, com a presença da maioria absoluta dos senadores (41 dos 81 parlamentares).

Após reunião no fim da tarde desta quinta-feira (31), com a presença de Sarney, o PMDB anunciou que Renan Calheiros será o candidato da legenda para concorrer à Presidência. Ele já foi presidente do Senado, entre 2005 e 2007. O senador Romero Jucá (PMDB-RR) foi indicado pela legenda como candidato à 2ª vice-presidência da Mesa do Senado. O novo líder do partido na Casa é o senador Eunício Oliveira (CE).

LEIA A ÍNTEGRA DA MATÉRIA

Publicicade

Publicicade