Arquivo da Tag: "SINDICATOS"
06
03

Guaidó consegue apoio de sindicatos para pressionar governo Maduro

Por Estadão Conteúdo

 

O líder oposicionista e chefe da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, abriu nesta terça-feira (5) uma nova frente contra o presidente Nicolás Maduro, ao conseguir o respaldo de algumas das principais centrais sindicais de funcionários públicos. “A pressão está apenas começando”, afirmou Guaidó ao anunciar, após uma reunião de mais de duas horas com dirigentes de cinco centrais que agrupam mais de 600 sindicatos, que os funcionários públicos se somarão às ações de pressão contra o governo, ao realizar paralisações escalonadas que serão discutidas nos próximos dias.

 

Embora dentro do setor público exista grande descontentamento pela complexa situação econômica e social enfrentada pela Venezuela, até agora os funcionários não haviam se pronunciado sobre a crise política. (mais…)

05
03

Sindicatos perdem 90% da contribuição sindical no 1º ano da reforma trabalhista

Por Estadão Conteúdo

 

Sindicatos de trabalhadores e de patrões tiveram os recursos drenados pelo fim da obrigatoriedade da contribuição sindical, como era esperado. Dados oficiais mostram que em 2018, primeiro ano cheio da reforma trabalhista, a arrecadação do imposto caiu quase 90%, de R$ 3,64 bilhões em 2017 para R$ 500 milhões no ano passado. A tendência é que o valor seja ainda menor neste ano.

 

O efeito foi uma brutal queda dos repasses às centrais, confederações, federações e sindicatos tanto de trabalhadores como de empregadores. Muitas das entidades admitem a necessidade de terem de se reinventar para manter estruturas e prestação de serviços. Além de cortar custos com pessoal, imóveis e atividades, incluindo colônia de férias, as alternativas passam por fusões de entidades e criação de espaços de coworking. (mais…)

10
05

Mudança de Postura

 

Repercutiu bem entre os servidores a disposição do Governo Pedro Taques (PSDB) em discutir a implementação da Revisão Geral Anual (RGA) para este ano. Em aplicativos de mensagens, muitos disseram que acreditam ser possível chegar a um acordo sem que haja a necessidade de greves ou paralisações.

 

Lição

Internamente, a gestão estadual entendeu que de nada adianta impor sua vontade, como foi tentado no ano passado, em que o governo, antes de sentar à mesa com os sindicatos, anunciou que não concederia qualquer reajuste.

 

Recuo

O fim da história já é conhecido. Uma longa greve, desgaste para diversos membros e defensores do governo e a concessão de um reajuste, ainda que parcelado, ao funcionalismo.

 

Depois da viagem

Vai ficar para junho o depoimento do ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), no inquérito que apura o pagamento de R$ 12 milhões em propina por parte da Odebrecht. Ele viaja, ainda esta semana, para o exterior, e deverá ficar fora do país pelo menos por 15 dias.

 

Protocolo VLT

O Governo do Estado gostou do resultado do acordo com o consórcio responsável pelas obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Gostou tanto que deverá adotar o mesmo tom para falar de outra obra da Copa do Mundo que está inacabada, a Arena Pantanal.

 

Acordo

Já está em estudo, inclusive, no âmbito da Procuradoria Geral do Estado (PGE), o processo envolvendo o Estado e a Construtora Mendes Júnior, responsável pela obra do estádio, que de acordo com o governo está inacabado.

 

Briga longa

Na avaliação de pessoas ligadas ao governo, a judicialização do caso, assim como da obra do VLT, é quase como “Carnaval na Bahia”, não tem hora para acabar. No caso de processos deste tipo, isso significa anos, talvez décadas sem nenhuma garantia que o julgamento do processo traga resultados positivos.

 

Ônus

Neste meio tempo, por conta do imbróglio judicial, o Estado acaba sofrendo por conta dos problemas gerados pela falta de manutenção da obra, como a crônica falta d’água nos vestiários. É aquele famoso ditado, “melhor um mau acordo que uma boa demanda”.

 

À la Dória

O prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) segue à risca sua estratégia para conseguir apoio popular a exemplo do prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB). Nas redes sociais, ele postou um vídeo mostrando problemas encontrados por ele ao visitar uma unidade de saúde, no bairro Alvorada.

 

Vai doer

No local, Pinheiro se deparou com falta de remédios e de qualquer médico, uma vez que o titular naquela unidade estava de férias. Ele determinou a reposição imediata do estoque e fará uma reunião com a secretária de Saúde, Elizeth Lúcia de Araújo, para saber o que houve no caso específico.

 

 

22
12

Governo anuncia reforma trabalhista; acordo deve prevalecer sobre legislação

1Por Luciano nascimento e Mariana Tokarnia

Agência Brasil

A poucos dias de encerrar o ano, o governo anuncia hoje (22)  mudanças na legislação trabalhista. Entre as possíveis medidas, está a ampliação da terceirização – restrita hoje a atividades de suporte, como segurança e serviços de limpeza -, que deverá incluir novas áreas além das permitidas atualmente. Outra medida deve ser a prevalência do acordo entre empresas e sindicatos dos trabalhadores sobre a legislação.

(mais…)

19
11

Milhares de argentinos marcham pela aprovação de lei para combate à pobreza

1Dezenas de milhares de argentinos se manifestaram, nesta sexta-feira, para pressionar os legisladores a apoiarem uma medida contra a pobreza crescente do país vizinho.

Os manifestantes inundaram as ruas de Buenos Aires e marcharam rumo ao Congresso, segurando bandeiras representando alguns dos sindicatos mais poderosos do país, e entoando gritos de ordem exigindo a aprovação da “lei de emergência social”.

(mais…)

14
06

MT: Governo aceita retroatividade dos 5,28% e envia ao Fórum

1Por Dani Danchura

Seges/MT

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Gestão (Seges-MT), encaminhou, na manhã desta terça-feira (14), aos representantes dos sindicatos das categorias de servidores públicos estaduais a minuta do Projeto de Lei que prevê o parcelamento da Revisão Geral Anual (RGA) de 2016. No documento, além dos 6% parcelados em três vezes, o Governo se compromete a quitar os 5,28%, totalizando os 11,28% de forma retroativa, condicionado à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

 

LEIA A MATÉRIA NA ÍNTEGRA AQUI.

 

 

06
03

Sindicatos ligados à CUT fazem ato de apoio a Lula no Jardim Botânico

Rio de Janeiro - Manifestantes fazem ato em frente à sede da Rede Globo, no Jardim Botânico, em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva Fernando Frazão/Agência Brasil

Rio de Janeiro – Manifestantes fazem ato em frente à sede da Rede Globo, no Jardim Botânico, em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva Fernando Frazão/Agência Brasil

Por Nielmar de Oliveira

Agência Brasil

Dezenas de manifestantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e de diversos sindicatos ligados à entidade promoveram hoje (6), em frente à sede da Rede Globo, no Jardim Botânico, na zona sul do Rio, manifestação em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Eles protestaram contra a condução coercitiva – quando a pessoa é levada para prestar depoimento e depois é liberada – do ex-presidente pela Polícia Federal (PF) na última sexta-feira (4),

A manifestação foi pacífica, começou por volta das 10h e contou, de acordo com informação extraoficial da Polícia Militar, com cerca de 300 pessoas. Na avaliação de dirigentes petistas, eram mais de 2 mil.

(mais…)

25
09

Greve dos petroleiros atinge cinco dos 17 sindicatos

1Por Nielmar de Oliveira Silva

Agência Brasil

A greve dos petroleiros deflagrada ontem (24) é parcial e atinge cinco sindicados, ligados à Frente Nacional dos Petroleiros (FNP), dos 17 que representam a categoria. Os outros 12 sindicatos ligados à Federação Única dos Petroleiros (FUP) não aderiram ao movimento. (mais…)

12
05

MT: Governo oferece ‘imóveis fictícios’ para custar previdência

1

Por Welington Sabino

Parte dos sindicatos que integram o Fórum Sindical em Mato Grosso denuncia que os 8,5 mil imóveis que o governo do Estado pretende usar como ativo e colocar como garantia para pagamento de aposentadorias dos servidores estaduais em caso de aprovação do projeto de lei que cria o Fundo Previdenciário Integrado (MT Prev) são “fictícios”. Isso porque tais imóveis e propriedades não estariam mais em poder do Estado. Ou seja, não integram mais o patrimônio de Mato Grosso. Garantem que apenas os títulos estão em nome do Estado, mas que as terras localizadas em glebas e assentamentos de várias cidades já foram demarcadas e distribuídas e os assentados têm um prazo de 10 anos para titular. Dessa forma, uma comissão composta por sindicalistas vai se reunir na Assembleia Legislativa na manhã desta terça-feira (13) e pedir aos deputados que não aprovem o projeto de lei da forma que se encontra.

 

LEIA A MATÉRIA NA ÍNTEGRA AQUI.

 

 

Publicicade

Publicicade