Arquivo da Tag: "Silval Barbosa"
15
09

MT: Irmão de Silval Barbosa recebeu R$ 1 milhão de empresa responsável por estradas vicinais

1Por JESSICA BACHEGA

O delator, Antonio Barbosa, irmão do ex-governador Silval Barbosa, revelou que recebeu R$ 1 milhão da empresa Strada, responsável pela manutenção de estradas vicinais no Estado. Os valores foram repassados de forma parcelada com dinheiro em espécie. A propina foi direcionada ao ex-governador Silval Barbosa, para despesas com deputados e também no governo.

 

LEIA A MATÉRIA NA ÍNTEGRA AQUI.

 

 

14
09

MT: Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão na Prefeitura de Cuiabá

1Por FELIPE LEONEL/JESSICA BACHEGA

A Polícia Federal cumpre, na manhã desta quinta-feira (14), mandados de busca e apreensão no prédio do Palácio Alencastro, sede do Poder Executivo de Cuiabá. Ao mesmo tempo, os agentes cumpriam mandados na casa do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), flagrado em vídeo recebendo propina do ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), Sílvio Correa.
14
09

MT: Conselheiros do TCE são alvos de busca e apreensão em operação da Polícia Federal

1Por RENAN MARCEL/PABLO RODRIGO

Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE) são alvos da Operação Malebolge, deflagrada pelo Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (14). A PF cumpre mandados de busca e apreensão originados a partir da delação do ex-governador Silval Barbosa (PMDB). A operação, segundo a PF, faz parte da 12ª fase da Operação Ararath.

 

LEIA A MATÉRIA NA ÍNTEGRA AQUI.

 

 

12
09

MT: Delator da Rêmora entregou R$ 300 mil em mochila para ex-assessor de Silval Barbosa

1Por RENAN MARCEL

O empresário Giovani Guizardi, dono da Dínamo Construtora Ltda., pagou pelo menos R$ 300 mil em propina para manter o contrato com o governo do Estado no programa MT Integrado, da gestão de Silval Barbosa (PMDB). O recurso teria sido destinado ao “mensalinho” dos deputados estaduais, que foram flagrados, em vídeo, recebendo o dinheiro dentro do Palácio Paiaguás.

 

LEIA A MATÉRIA NA ÍNTEGRA AQUI.

 

 

12
09

Depois do TJ, TCE barra repasse milionário à Câmara

Depois que o vereador Felipe Wellaton (PV) conseguiu impedir na Justiça a suplementação de mais de R$ 6,7 milhões feita pelo prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) para a Câmara Municipal, foi a vez do Tribunal de Contas do Estado (TCE) barrar o repasse. A decisão é do conselheiro interino Luiz Carlos Pereira, atendendo ao Ministério Público de Contas (MPC).

Desgaste

A medida aumenta ainda mais o desgaste de Pinheiro, que até o momento não falou de forma clara e direta sobre as imagens em que aparece enchendo os bolsos com maços de dinheiro vivo, entregues pelo chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), Sílvio Cezar Corrêa Araújo.

 

Cortes

Por conta da ausência destes recursos, o presidente da Câmara, Justino Malheiros (PV), já admite a possibilidade de exonerar quase 400 servidores comissionados como forma de conseguir fechar o orçamento do Legislativo da Capital para este ano.

Sem afastamento

Pinheiro chegou a falar com a imprensa durante o feriado, quando visitava algumas obras, mas nada de concreto disse. “Sou advogado e sei conduzir isso juridicamente. Tudo vai ser esclarecido. Essa é a linha de defesa”, desconversou o prefeito, que não pode ser punido pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) por estar afastado da advocacia.

Fatiamento

Embora o desembargador Márcio Vidal tenha afirmado que o Supremo Tribunal Federal (STF) já fez o “fatiamento” da delação de Silval, informações diretas do gabinete do ministro Luiz Fux, que homologou o acordo, dizem exatamente o contrário. “Não há nenhuma sinalização neste sentido”, informou um servidor do gabinete do magistrado.

Ao trabalho

Também atingidos pela delação de Silval, alguns deputados estaduais estão com dificuldade de retomar os trabalhos na Assembleia Legislativa. Prevendo problemas na aprovação da PEC do teto dos gastos, o governador Pedro Taques (PSDB) pediu ao presidente do Legislativo, Eduardo Botelho (PSB), foco da Casa de Leis para a apreciação da matéria.

No tempo

Botelho, por sua vez, se comprometeu a montar um cronograma de trabalho de forma a balizar a tramitação da matéria na Casa de Leis. Resta saber se novos fatos, operações e outras coisas mais não vão colocar o Legislativo em nova paralisia.

Não aguenta

A vida dos políticos flagrados nas imagens entregues por Sílvio à PGR mudou drasticamente. Um deles, inclusive, não aguentou e partiu para o ataque em um grupo de whatsapp, instantes após a publicação de uma imagem brincando com o político. Ele ameaçou deixar o grupo se as piadas prosseguissem.

 

Suspenso

O juiz federal Ciro Arapiraca ampliou por mais 30 dias a suspensão do contrato das obras de implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). A negociação para a retomada das obras entre o Estado e o consórcio construtor azedou depois que a Polícia Federal deflagrou a Operação Descarrilho.

 

Sem bloqueio

Embora tenha aceito os argumentos da Procuradoria Geral do Estado (PGE) ao manter a suspensão do contrato, Arapiraca rejeitou o pedido para o bloqueio de recursos do Consórcio VLT.

07
09

MT: Rodrigo Barbosa e Pedro Elias dividiam propina paga por locadora de veículos

1Por Jessica Bachega

O filho do ex-governador Silval Barbosa, médico Ricardo Barbosa, disse em sua delação que ele e o ex-secretário de Administração, Pedro Elias, dividiam a propina paga pela empresa Sal Locadora. Ricardo ficava com a maior parte do valor e a cobrança era feita sem o conhecimento de seu pai.

 

LEIA A MATÉRIA NA ÍNTEGRA AQUI.

 

 

06
09

MT: Ex-assessor de Silval diz que recebeu imóvel de R$ 290 mil de empresário Filadelfo

1Por Renan Marcel

O ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), Silvio Cezar Correa Araújo, disse que o empresário Filadelfo Dias lhe entregou um imóvel avaliado em R$ 290 mil, localizado em um condomínio no bairro Despraiado, em Cuiabá, sem garantia de pagamento. Filadelfo é dono do Grupo Dias, um conglomerado de mais de 20 empresas de diversos setores, como saneamento, energia, mineração e construtoras.

 

LEIA A MATÉRIA NA ÍNTEGRA AQUI.

 

 

05
09

Por governabilidade Pinheiro mexe em staff

O prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) começou a fazer mexidas em seu secretariado. O primeiro a deixar o cargo é o titular da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Antenor Figueiredo. A exemplo da ex-secretária de Educação, Mabel Strobel, a saída se dá por meio de licença.

 

 

Festa

Nos corredores da Câmara Municipal o clima era de alegria pela queda de Figueiredo. Ele era o principal alvo de reclamações por parte dos vereadores, por conta de seu baixo índice de resolutividade. Os parlamentares são cobrados, na maioria dos casos, por questões relacionadas a serviços urbanos, obras e mobilidade.

 

 

De novo

Esta não é a primeira vez que Figueiredo deixa a Semob. Na gestão do ex-prefeito Mauro Mendes (PSB), ele foi rifado no meio de uma reforma administrativa, exatamente por sua dificuldade em dar andamento às demandas. O grande legado do ex-secretário na gestão passada foi a chamada “barriga de sucuri”, pintada no corredor de ônibus da avenida Getúlio Vargas.

 

 

Mínimo

Emanuel deverá promover mais mudanças em seu staff, mas isso ainda não está fechado. Ele deverá tentar acalmar sua base de apoio com trocas em secretarias adjuntas, com menos poder e visibilidade. No entanto, os parlamentares não parecem dispostos a aceitar a proposta, exigindo a titularidade das pastas.

 

 

Oculto

Um personagem oculto na delação do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) pode aparecer a qualquer momento. Informações vindas diretamente de Brasília dão conta que procuradores já estão “juntando os fatos” a respeito desta pessoa, inclusive com fotos de eventos públicos muito mal explicados. A conferir.

 

 

Efeito Joesley

Delatados por Silval, muitos políticos vibraram com a informação de que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, admitiu a possibilidade de cancelar o acordo de colaboração dos irmãos Batista por omissão de crimes. Eles agora buscam algum fato que não tenha sido narrado pelo ex-governador para tentar colocar em xeque a colaboração do peemedebista.

 

 

Cada vez mais

Já no Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) chama a atenção o número de pessoas que busca os promotores dispostas a colaborar com a Operação Convescote. O Gaeco, que já contava com um farto volume de provas sobre esta investigação, possui agora ainda mais material. Novas fases virão em breve.

 

 

 

Detran

Nos corredores do MP o clima é de expectativa pelo envio do material revelado pelo irmão do ex-governador, Antônio Barbosa. As revelações do irmão do peemedebista têm destino certo, investigações que tramitam no Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco) com base no acordo de colaboração do ex-presidente do Detran, Teodoro Lopes, e envolvem políticos com prerrogativa de foro.

02
09

Vereadores começam a pressionar Emanuel

Depois de impedirem a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), os vereadores da base governista começam a pressionar por cargos e mudanças em secretarias. Os pedidos ainda são tímidos, mas tendem a ser intensificados nos próximos dias.

 

Governabilidade
A tendência é que a situação piore, uma vez que devem tramitar pela Casa de Leis projetos importantes para o Executivo. A governabilidade de Pinheiro neste momento praticamente não existe e só se dá porque os vereadores ainda não subiram o tom dos pedidos, o que ocorrerá em breve.

 

Nas cordas
Flagrado enchendo os bolsos do seu paletó com maços de dinheiro entregues pelo ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), Emanuel Pinheiro não consegue deixar as cordas. Depois de duas tentativas de desqualificar as imagens, ele não fez nenhum pronunciamento público a respeito deste assunto. Pinheiro ainda virou chacota nacional, com destaque no programa do humorista Fábio Porchat.

 

Imagem
O problema de Pinheiro só piorou quando veio a público que, dias após a base ter enterrado a CPI, o Executivo suplementou o orçamento da Câmara em mais de R$ 6,7 milhões. Para completar, o dinheiro repassado ao Legislativo foi tirado de programas sociais e de obras de pavimentação asfáltica.

 

Sem China
Quando o vídeo foi revelado em rede nacional, Emanuel estava em viagem aos Estados Unidos, onde foi “vender” as potencialidades de Cuiabá. Ele teria outra viagem marcada, desta vez para a China, mas a agenda já teria sido cancelada, por conta da crise política.

 

Afastamento
Ainda que tenha se salvado, por enquanto, da cassação, o peemedebista corre o risco de ser afastado do cargo por decisão do ministro do STF, Luiz Fux, que homologou os acordos de colaboração e é o relator das investigações. A chance, dizem juristas, é remota, mas existe.

 

Parado
Passados sete dias da revelação do teor da delação do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), seus familiares e seu ex-chefe de gabinete, que acertaram em cheio a classe política e o setor econômico de Mato Grosso, o clima no Estado é de apreensão. “Ninguém se mexe, porque não sabe no que tudo isso vai dar”, explicou um político com mandato que (ufa!) não foi citado nas delações.

 

Sem teto
Prova disso é que até o momento os deputados estaduais, muitos citados nas colaborações, não avançaram absolutamente nada nas discussões da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que estipula um teto nos gastos públicos e precisa ser aprovada em breve para que o Estado consiga renegociar suas dívidas com a União, conseguindo assim fôlego para honrar seus compromissos.

 

Reforma
Por outro lado, as informações de que setores econômicos pagavam propina pela manutenção da chamada simplificação tributária deverão arrefecer  o lobby contrário às mudanças propostas pelo governador Pedro Taques (PSDB) por meio da reforma tributária.

 

Sumiu
O único problema, neste caso, é que ninguém sabe em que pé está a discussão. Depois de ver a proposta naufragar no final do ano passado, o Executivo prometeu rediscutir os termos da proposta no primeiro semestre deste ano e encaminhar um texto-base ao Legislativo a tempo de serem realizadas discussões ainda este ano. Até agora, nada.

Publicicade

Publicicade