Arquivo da Tag: "RACHA"
10
06

Após racha, Eduardo Bolsonaro assume PSL paulista

Por Estadão Conteúdo

 

Após uma acirrada disputa interna, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, será empossado nesta segunda-feira (10) presidente do diretório paulista do PSL. Mas seu nome não é consenso. Nas últimas semanas, o parlamentar enfrentou um movimento de oposição liderado por Alexandre Frota (SP), seu colega na Câmara dos Deputados, que contesta a forma como Eduardo foi escolhido e promete “colocar fogo” no partido durante sua gestão. O pano de fundo é a disputa pela Prefeitura de São Paulo no ano que vem.

 

Alinhado ao grupo do governador João Doria, o grupo de Frota defende que o PSL escolha a também deputada federal Joice Hasselmann, líder do governo no Congresso, para disputar a eleição municipal, enquanto Eduardo e o senador Major Olímpio rejeitam uma aproximação com os tucanos e trabalham pela candidatura de José Luiz Datena. Em 2018, o apresentador chegou a se lançar ao Senado pelo DEM, mas neste ano negocia a filiação ao PSL. (mais…)

23
05

‘Não vou sair do partido e ninguém me tira’, afirma Eunício

Por Estadão Conteúdo

O presidente do Congresso, senador Eunício Oliveira (MDB-CE), reagiu ao recado do presidente Michel Temer que nesta terça-feira, 22, convidou a se retirar do partido quem se recusar a apoiar a candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles ao Palácio do Planalto. Filiado há 45 anos no MDB, Eunício avisou, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, que não vai seguir a recomendação. “Não vou sair e ninguém me tira.”

 

Eunício também criticou a política de preço dos combustíveis implantada pelo presidente da Petrobras, Pedro Parente. “Entre os ‘Parentes’ e os consumidores eu vou ficar com os consumidores”, afirmou.

 

O senhor vai apoiar Meirelles ou seguir a recomendação do presidente Michel Temer?

 

Eu vou ficar no MDB e vou tomar a minha própria decisão em relação a coligações estaduais e à Presidência da República. Não vou sair e ninguém me tira. Tenho 45 anos de partido. (mais…)

05
04

Fávaro pode renunciar ao cargo de vice-governador

O vice-governador Carlos Fávaro (PSD) poderá anunciar nesta quinta-feira (5) a renúncia ao cargo. A informação foi confirmada por fontes ouvidas pelo Hipernotícias na noite desta quarta-feira (4). A expectativa é que Fávaro, que também preside o partido em Mato Grosso, deva conceder uma coletiva de imprensa às 10 horas, na Assembleia Legislativa, uma vez que a decisão precisa ser protocolada na Casa de Leis.

 

A decisão teria sido tomada depois de uma tentativa do governador Pedro Taques (PSDB), junto ao presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, de destituir o diretório em Mato Grosso, tirando a legenda das mãos de Fávaro e entregando aos deputados estaduais que já declararam apoio ao seu projeto de reeleição: Gilmar Fabris, Nininho, Wagner Ramos e Pedro Satélite. “Ele [Taques] tentou fazer como fez com o PPS, como está tentado fazer com o PSB”, disse uma das fontes ouvidas pelo Hipernotícias.

 

Outro fator que teria pesado na definição por deixar o cargo seria que o líder do governo teria segurado um projeto de lei, encaminhado ao Parlamento, que visa obrigar o governador a comunicar com antecedência de pelo menos 24 horas, sua ausência no cargo. Esse seria um indicativo de que Taques poderia se ausentar a qualquer hora depois do dia 7 de abril, forçando Fávaro a assumir o cargo, o deixando inelegível para a disputa em outubro. Como vice, Fávaro não precisa se desincompatibilizar para concorrer ao Senado, desde que seis meses antes das eleição não tenha substituído o respectivo titular.

(mais…)

27
01

Taques afirma que não há racha no PSDB e apoia Leitão ao Senado

O governador Pedro Taques, em entrevista concedida ao Estúdio Hiper, afirmou que a divergência política existente entre ele e o deputado federal Nilson Leitão já foi superada e que o PSDB vive uma situação “absolutamente tranquila”. O tucano também descartou que tenha em algum momento cogitado deixar o partido em razão deste desentendimento.

 

“[O PSDB] não está rachado. Houve uma divergência política e estamos buscando resolver isso. A divergência é política, respeito o Nilson, ele também me respeita, é uma grande liderança nacional e tivemos divergência em relação a um ponto”, explicou o governador, que não quis revelar o que motivou a situação.

 

(mais…)

25
01

Brito nega racha no PSD e fala em melhoria

DEU NA GAZETA

Anunciado como novo secretário de Esportes e Cidadania de Cuiabá, Carlos Brito concedeu nesta sexta-feira (25) sua primeira entrevista coletiva. Ele negou que esteja assumindo o cargo à revelia do partido a qual é filiado, o PSD, bem como qualquer acordo anterior, uma vez que ele disputou e perdeu a prefeitura da Capital em 2012.

LEIA A ÍNTEGRA DA MATÉRIA

25
01

Nomeação de Carlos Brito já provoca racha no PSD

DEU NO MIDIANEWS

A nomeação do ex-deputado Carlos Brito (PSD) como secretário de Esporte e Cidadania de Cuiabá, na gestão do prefeito Mauro Mendes (PSB), já causa racha no partido. A bancada do PSD na Câmara, formada pelos vereadores Toninho de Souza e João Emanuel, se posicionou contra a entrada dele no staff de Mendes.

“Os posicionamentos dentro da sigla são divergentes. Os vereadores acharam que eu não deveria assumir, mas outras pessoas, como o deputado José Riva, entenderam que o convite do prefeito foi de cunho pessoal e não partidário, e me deixaram livre para aceitar”, disse Brito, em entrevista coletiva no Palácio Alencastro, na manhã desta sexta-feira (25).

LEIA A ÍNTEGRA DA MATÉRIA

27
12

Valtenir admite que PSB de Cuiabá está rachado

DEU NA GAZETA

Presidente estadual do PSB, o deputado Valtenir Pereira admitiu um racha no partido por conta da eleição da Mesa Diretora da Câmara de Cuiabá. De um lado, o prefeito eleito Mauro Mendes, que apoia para presidente o petebista Júlio Pinheiro e do outro, o também candidato Onofre Júnior e o vereador eleito Faissal Calil.

Pereira afirma que Onofre teria procurado a direção do partido por se sentir desprestigiado pelo diretório municipal da sigla, presidido por Mendes. “Ele foi completamente ignorado pelo partido e nos procurou para viabilizarmos a candidatura dele, se mostrando muito descontente”.

LEIA A ÍNTEGRA DA MATÉRIA

18
09

Fissura no PR pode abalar aliança governista

O processo eleitoral deste ano vem provocando fissuras no PR. O confronto pode abalar as relações entre os republicanos e o governo peemedebista de Silval Barbosa. O PR ainda faz parte da base governista, mas já se percebe um distanciamento político entre os partidos, especialmente entre Silval e o senador Blairo Maggi.

A disputa eleitoral entre os diversos partidos que fazem parte da base de sustentação de Silval Barbosa, entre eles o PR, o PSD e o PP podem trazer problemas ao governador, que se empenha na disputa contra os aliados. Silval conta com o fisiologismo dos partidos para superar eventuais ressentimentos eleitorais, mas pode ser surpreendido. Se os partidos aliados saírem fragilizados das eleições municipais o processo eleitoral de 2014 começará mais cedo. E Silval pode enfrentar oposição, coisa que não aconteceu até agora em seu governo.

Publicicade

Publicicade