Arquivo da Tag: "MINISTÉRIO DA ECONOMIA"
09
04

Plano prevê abertura do setor de gás nos Estados

Por Estadão Conteúdo

 

O novo plano do governo federal de socorro aos Estados – batizado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, de Plano Mansueto – terá como uma das contrapartidas de acesso ao auxílio financeiro a abertura do mercado de distribuição de gás pelos governos estaduais. A medida faz parte da estratégia de Guedes para promover um “choque de energia barata” e ampliar os investimentos e empregos no País.

 

Pelo desenho do Plano de Equilíbrio Financeiro (PEF), nome formal do programa, os Estados terão um leque de cinco opções (condicionalidades) para ter acesso a dinheiro novo antecipado por meio de garantias do Tesouro Nacional, chefiado pelo secretário Mansueto Almeida, que está elaborando o socorro aos Estados. Os governadores também terão de cumprir medidas de ajustes nas despesas e receitas. (mais…)

04
04

Estatal paga salário até 8 vezes maior que o mercado

Por Estadão Conteúdo

 

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou que o Ministério da Economia adote critérios para analisar o salário pago por estatais federais não dependentes dos recursos do Tesouro Nacional, em comparação com as remunerações praticadas pelo setor privado. A informação foi antecipada ontem pelo Estadão/Broadcast.

 

Auditoria do tribunal identificou que 86% das remunerações das estatais são superiores às pagas pelo setor privado para ocupações idênticas. Outras 43% das remunerações das estatais superam o dobro das remunerações de mercado. Em 11% dos casos, o valor da remuneração das estatais supera 120% da remuneração máxima encontrada no setor privado. Em apenas 15% dos casos, a remuneração do mercado supera a das estatais. (mais…)

26
03

Equipe econômica tenta virada para ressaltar ‘agenda positiva’

Por Estadão Conteúdo

 

Com a economia em ponto morto, a equipe econômica coordena uma ofensiva para agilizar outras medidas e fazer uma virada na direção de uma agenda positiva, além da reforma da Previdência. Depois da arrumar a casa nos 100 primeiros dias de governo com a unificação dos três ministérios, a ordem no Ministério da Economia é destravar a agenda e “fazer barulho” com as medidas.

 

A área econômica quer barrar o processo de queda da confiança no crescimento, que já pode ser observado nas sucessivas reduções das previsões de alta do PIB pelos analistas. Um avanço mais brusco desse movimento pode afetar ainda mais as intenções de investimentos dos empresários e afundar o crescimento deste ano.

 

Ao mesmo tempo, o time do ministro Paulo Guedes quer reduzir a dependência da agenda econômica à reforma da Previdência, que está afetando o ânimo do mercado com a crise na articulação política. (mais…)

22
03

Contingenciamento de despesas no Orçamento de 2019 é de R$ 29,792 bilhões

Por Estadão Conteúdo

 

O Ministério da Economia anunciou nesta sexta-feira (22) um corte de R$ 29,792 bilhões nas despesas do Orçamento de 2019 para assegurar o cumprimento da meta fiscal, que permite déficit de até R$ 139 bilhões neste ano. O contingenciamento foi necessário devido à forte queda nas receitas e ao aumento de despesas obrigatórias, como folha de pessoal.

 

A Lei Orçamentária continha uma folga de R$ 10 milhões em relação à meta fiscal. Além desse espaço, o governo ainda precisou bloquear outros R$ 29,782 bilhões em despesas. (mais…)

13
03

Secretários da economia brigam por funcionários

Por Estadão Conteúdo

 

Depois de enxugar o quadro e cortar “na carne” quase três mil cargos comissionados, o Ministério da Economia passa agora por uma briga interna por funcionários. A junção de estruturas na pasta, que agregou os extintos ministérios da Fazenda, Planejamento e Indústria, somada à redução de pessoal, desencadeou uma disputa entre secretários por servidores, com secretarias reclamando de esvaziamento e outras chamando de volta seus concursados, segundo apurou o ‘Estadão/Broadcast’. Isso tem tomado tempo e energia em várias áreas da pasta e impedido o avanço de projetos.

 

Em uma das longas reuniões para tratar do tema, o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, chegou a fazer um desabafo e disse que “não quer envelhecer no serviço público”, pois se perde muito tempo com questões cotidianas como essa. De acordo com fontes da pasta, Almeida foi chamado para arbitrar uma disputa relacionada a critérios para cessão de pessoal e, depois de uma hora e meia, teria feito a reclamação, o que levantou suspeitas se ele estaria deixando o cargo. (mais…)

10
02

Com lei, Brasil mira filão das apostas esportivas online

Por Estadão Conteúdo

 

Em dezembro, o governo Michel Temer promulgou a Lei 13.756/2018, que tornou lícita em todo o território nacional a atividade de apostas esportivas de quotas fixas, aquelas nas quais fica definido, no momento da aposta, quanto se vai ganhar em caso de acerto. A intenção é abocanhar uma fatia do mercado que já movimenta no Brasil cerca de R$ 4 bilhões por ano, de acordo com estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), atuando na “ilegalidade” no País.

“Os oito mil sites de apostas esportivas que existem no mundo estão ao alcance dos brasileiros. Desses, 500 oferecem jogos do futebol brasileiro. E 50 têm versões em português”, diz Pedro Trengrouse, advogado e professor da FGV, responsável pela proposta sobre o tema enviada ao Congresso que acabou se transformando em lei. (mais…)

24
01

Guedes quer reduzir Imposto de Renda para empresas de 34% para 15%

Por Estadão Conteúdo

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou na quarta, 23, que o governo quer reduzir o Imposto de Renda pago pelas empresas do País de 34%, em média, para 15%. Para compensar o corte, Guedes estuda aumentar os tributos sobre renda e aplicações financeiras que hoje são isentas ou pagam pouco imposto.

 

Em entrevista exclusiva ao Estadão/Broadcast, no Fórum Econômico Mundial, ele explicou que a motivação dessa reorganização tributária é atrair investidores estrangeiros. Declarações do ministro fizeram o dólar cair 1,13%, a R$ 3,76, e a Bolsa bater o décimo recorde no ano.

 

(mais…)

Publicicade

Publicicade