Arquivo da Tag: "JBS"
27
09

Confiança do comércio sobe 6,8 pontos em setembro ante agosto, revela FGV

1O Índice de Confiança do Comércio (Icom) avançou 6,8 pontos na passagem de agosto para setembro, para 89,2 pontos, informou nesta quarta-feira, 27, a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com o resultado, o indicador retorna a um patamar semelhante ao de abril, quando estava em 89,1 pontos, após quatro meses de quedas consecutivas.

(mais…)

06
09

Supremo Tribunal Federal divulga conteúdo dos áudios da JBS

1Por Debora Brito e Pedro Peduzzi

Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal (STF) liberou há pouco a íntegra dos áudios entregues por advogados da JBS à Procuradoria-Geral da República (PGR). O conteúdo das gravações traz evidências de informações que foram omitidas pelos delatores durante as investigações no âmbito da Operação Lava Jato.

(mais…)

09
08

Na PF, Wesley Batista diz que grupo ‘atua de forma padronizada’

1O empresário Wesley Batista, acionista da JBS, afirmou em depoimento na Polícia Federal nesta quarta-feira, 9, que o grupo “atua de forma padronizada há mais de cinco anos”. Ele negou que o grupo tenha feito uso de informações privilegiadas das delações de seus executivos para operar recompra de ações e dólares. (mais…)

01
08

PT e PMDB travam instalação de CPI da JBS

1Dois meses depois da criação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) sobre a JBS, senadores do PMDB e do PT ainda não indicaram seus membros, o que vem dificultando a instalação da comissão. Segundo o Estadão/Broadcast apurou, entre peemedebistas a preocupação é evitar expor o presidente Michel Temer. Já os petistas não querem que o foco das investigações se volte para os governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

(mais…)

01
08

Blog do Mauro no Hipernotícias

 

Marcel, o novo homem-bomba dos grampos

É grande o rumor de que o ex-secretário Marcel Souza de Cursi vai detonar mais uma grave crise no já tumultuado episódio dos grampos. Nesta semana, ele deve falar sobre uma suposta quebra de sigilo fiscal, cometida dentro da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz/MT), há alguns anos.

 

Quem mandou

No depoimento, Cursi deverá apontar membros do Ministério Público Estadual (MP), que teriam quebrado sigilos de membros do Poder Judiciário, incluindo juiz, desembargador e até pessoas próximas a um membro de Corte Superior.

 

Mais problemas

Um magistrado que teria sido vítima das supostas quebras, inclusive, já possui em mãos documentos que comprovariam a prática, segundo fontes da coluna. Resta saber se haverá e qual será o andamento de tais denúncias.

 

Sindicância

A denúncia que deverá ser feita por Cursi não é novidade nos corredores da Sefaz/MT. Por lá, tramita uma sindicância, aberta no ano passado, exatamente para apurar tais práticas, quando o ex-secretário revelou tais informações ao ser interrogado em uma ação penal decorrente da Operação Sodoma.

 

Comum

Sobre este assunto, quebras clandestinas de sigilo, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, afirmou que casos deste tipo estão sendo descobertos em vários Estados, inclusive no Distrito Federal.

 

Mesmo tom

De passagem por Cuiabá, Mendes manteve o tom crítico quanto a alguns aspectos da atuação do Ministério Público Federal (MPF), no âmbito da Operação Lava Jato. Ele criticou, por exemplo, as conduções coercitivas, fruto, segundo Mendes, de um “direito achado na rua”, sobretudo quando envolvem pessoas que sequer haviam sido intimadas a prestar esclarecimentos.

 

Averiguação

O ministro destacou que em Portugal, ao ser questionado por colegas sobre o fato, ouviu deles que lá, assim como em muitos países, a condução coercitiva é conhecida como prisão para averiguação, ou seja, tem os mesmos efeitos de uma prisão, o que é grave sobretudo quando se tratam de pessoas inocentes.

 

Revisão

Mendes pontuou ainda que algumas delações, com graves falhas, como a fixação de penas feita pelos próprios procuradores e promotores, devem ser revistas em breve. Na lista estão o ex-senador Delcídio do Amaral, Ségio Machado e os irmãos Joesley e Wesley Batista, donos da JBS.

 

E os outros?

Aliás, não custa nada perguntar, quais são os outros 1,9 mil políticos citados pelos executivos da JBS e quais foram os andamentos das investigações contra eles? A sociedade precisa saber.

 

Segunda instância

Outra questão que em breve será debatida no Supremo, adiantou o ministro, é a prisão de condenados após decisão de segunda instância, que foi autorizada pelo STF, mas conta ainda com muitas controvérsias, que precisam ser melhor discutidas.

30
07

‘O Joesley é que sabia de tudo’, diz advogado de delator

1“Vou ter que delatar um advogado e um procurador da República”, disse o advogado Francisco de Assis e Silva, da JBS, durante um almoço, em 23 de abril passado, no sofisticado restaurante Nobu, na Avenida 57, em Nova York.

“Você vai virar um whistleblower”, comentou, preocupada, sua filha Vitória Helena, de 20 anos, usando a expressão americana para delator (que significa ‘assoprador de apito’). (mais…)

Publicicade

Publicicade