Arquivo da Tag: "IMPEACHMENT"
31
05

Parlamentares tentam tirar apoio à PEC ‘anti-Mourão’

Por Estadão Conteúdo

 

Sob pressão das redes sociais bolsonaristas, 16 dos 172 deputados que subscreveram uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), apresentada pelo PT para impedir o vice de assumir o mandato em caso de afastamento do titular, tentam apagar suas digitais. Nos últimos dias, eles ingressaram com requerimento pedindo para retirar suas assinaturas. A maioria alega que nem sequer leu o que avalizou.

 

A PEC, que recebeu apoio de sete deputados do PSL, partido de Jair Bolsonaro, prevê eleições diretas três meses após o afastamento do presidente, prefeito ou governador, seja qual for a circunstância. Nesses casos, o vice só ficaria no cargo durante esse período. A proposta não deixa brecha para que ele assuma o posto depois desse prazo. A emenda foi apelidada de “anti-Mourão”, em referência ao vice-presidente Hamilton Mourão, que já entrou em atrito com a família Bolsonaro.

 

(mais…)

24
03

Investigação sobre possível conluio de Trump com a Rússia é concluída

Por Estadão Conteúdo

 

O procurador especial Robert Mueller concluiu a investigação que apura se houve conluio com a Rússia durante as eleições presidenciais que fizeram o presidente Donald Trump chegar à Casa Branca. O relatório confidencial foi entregue ao secretário de Justiça, William Barr, que decidirá quais informações tornará públicas. Em carta aos parlamentares, Barr afirmou que poderiam compartilhar informações nos próximos dias.

 

As investigações de Mueller atingiram assessores diretos do presidente, como o ex-advogado de Trump, Michael Cohen, e seu ex-chefe de campanha, Paul Manafort. O relatório final trará a avaliação do procurador especial sobre a eventual participação de Trump em um conluio com os russos durante as eleições de 2016. O presidente americano costuma classificar a investigação como uma perseguição política e nega ter participado de um conluio. (mais…)

06
03

Vídeo obsceno publicado por Bolsonaro sobre carnaval causa polêmica nas redes

Foto: Isac Nóbrega/PR

Por Estadão Conteúdo

A publicação de um vídeo de conteúdo escatológico e pornográfico pelo presidente Jair Bolsonaro em sua conta no Twitter, na noite desta terça-feira (5) divide a rede social nesta quarta-feira (6) com a hashtag #ImpeachmentBolsonaro liderando os tópicos mais replicados, seguida pela #BolsonaroTemRazão.

Logo após o tuíte, muitos internautas pediram que o conteúdo fosse denunciado à rede social como impróprio. Nem o Twitter, nem o presidente excluíram a postagem, mas foi colocado um aviso de que a mídia “pode conter material sensível”. Na postagem, o presidente afirma que “é isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro”. Na postagem feita por Bolsonaro não está identificado onde se deu o ocorrido. (mais…)

08
08

PT se alia a partidos que apoiaram impeachment

Por Estadão Conteúdo

 

Apesar do discurso de que Dilma Rousseff foi vítima de um “golpe”, o PT se aliou em 15 Estados a partidos que apoiaram o impeachment da presidente cassada em 2016 e integraram o governo Michel Temer. Levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo mostra que o PT será cabeça de chapa ao governo em seis Estados em coligações com partidos que foram favoráveis ao impedimento. Na mão inversa, outros nove candidatos a governador de siglas que votaram pelo afastamento de Dilma vão ter o apoio do PT.

 

Desses nove, há filiados ao MDB, PSD, PTB, PR e Rede. Outros quatro são do PSB, partido que em 2016 orientou voto favorável ao afastamento da presidente cassada. Agora, porém, o PSB – que sempre foi um aliado histórico dos petistas – fechou acordo nacional com o PT para não apoiar formalmente nenhum candidato à Presidência.

 

(mais…)

12
07

Vereadores analisam nesta quinta pedidos de impeachment de Crivella

Tânia Rêgo/Agência Brasil

Por Agência Brasil

 

Os vereadores do Rio de Janeiro interrompem hoje (12) o recesso do meio de ano para analisar a admissibilidade de pedidos de abertura de impeachment do prefeito Marcelo Crivella (PRB) pelos crimes de responsabilidade e improbidade administrativa. Ele é acusado de oferecer supostas vantagens aos fiéis da Igreja Universal, da qual é pastor licenciado, durante uma reunião no Palácio da Cidade.

 

Os 51 vereadores foram convocados pelo presidente da Câmara Municipal, Jorge Felippe (MDB), para uma sessão extraordinária, às 14h. A suspensão do recesso parlamentar ocorreu após a oposição conseguir a assinatura de 17 vereadores, mínimo necessário. Os pedidos foram protocolados pelo vereador Átila Nunes (MDB) e pelo deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) junto com o diretório municipal do partido.

 

(mais…)

02
02

Juíza dá prazo de 72 horas para governo se manifestar sobre bloqueio de R$ 250 mi

Por Felipe Leonel
Hipernotícias

 

A juíza Célia Regina Vidotti, da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá, determinou que o Governo do Estado se manifeste a respeito do pedido de bloqueio de R$ 250 milhões, realizado pelo Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de Mato Grosso (Sindjusmat). O valor é referente ao montante em atraso do duodécimo dos Poderes.

 

A juíza notificou a procuradora-geral do Estado, Gabriela Novis Neves Pereira Lima e deu prazo de 72 horas para se manifestar. “Notifique-se o Estado de Mato Grosso, por seu Procurador-Geral, para que, no prazo de setenta e duas (72) horas, se manifeste sobre a liminar pleiteada pelo Sindjusmat”, afirma Vidotti, no despacho, assinado com data dessa quarta-feira (31). (mais…)

25
09

Maia diz que vai decidir sobre pedidos de impeachment após votação de denúncia

1O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que vai começar a decidir sobre os pedidos de impeachment protocolados na Casa após a apreciação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer. A peça de acusação da Procuradoria-Geral da República será lida nesta segunda-feira, 25, no plenário da Câmara. Para que a ação não prossiga no Supremo Tribunal Federal (STF), Temer precisa do apoio de 172 deputados.

(mais…)

06
09

Câmara renova título de “Casa dos Horrores”

Depois que foram reveladas imagens do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), recebendo dinheiro do chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), a Câmara Municipal se esforçou em recuperar o título que os vereadores queriam sepultar, o de “Casa de Horrores”.

 

 

Arquivamento

Sob o argumento de falta de provas, os parlamentares arquivaram um pedido de impeachment de Pinheiro, protocolado por um servidor público, como se o vídeo não fosse auto-explicativo. Além disso, os vereadores trabalharam para manter no máximo sigilo a tramitação do pedido. Boa parte da imprensa só soube disso minutos antes do início da sessão.

 

 

Convocação

Outro pedido enterrado pela base de apoio foi o documento apresentado pelo vereador Gilberto Figueiredo (PSB), que cobrava a presença do chefe do Executivo em plenário para, enfim, fazer algo que ele deve todos os dias enquanto agente público: explicar o contexto das imagens e os motivos pelos quais encheu os bolsos com maços de notas.

 

 

Por escrito

A alegação da Mesa Diretora para este arquivamento foi a falta de previsão legal para este tipo de pedido e Figueiredo terá que formular as perguntas por escrito ao prefeito, que poderá responder, se quiser, também por escrito.

 

 

Na Justiça

Embora tenham o papel de fiscalizar os atos da gestão e as ações de quem quer que ocupe a cadeira do prefeito, o Legislativo está delegando seu papel ao Poder Judiciário. Além da possibilidade de Pinheiro ser afastado por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, uma ação civil foi protocolada pelo vereador Felipe Welaton (PV), um dos principais defensores da saída do peemedebista do cargo.

 

 

Perdedor

Não há dúvidas de que o maior “perdedor” com a delação de Silval foi Pinheiro. Ele viu sua carreira política, que havia atingido no ano passado, com boa estratégia e uma dose de sorte, um novo patamar, ruir. Entre os políticos esta é a avaliação majoritária.

 

 

 

Silêncio

Quem também tem tentado adotar o silêncio é o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Eduardo Botelho (PSB). De volta ao trabalho, ele só se manifestará sobre os parlamentares flagrados, citados e denunciados na delação de Silval nesta quarta-feira (6).

 

 

Espera

A pessoas próximas, Botelho teria adiantado que ao Legislativo caberá aguardar as investigações do caso, que tramita no STF, antes de tomar qualquer decisão. Até porque, se a Casa decidir processar todos os envolvidos por uma eventual quebra de decoro, seria difícil reunir deputados para realizar estes “julgamentos”.

 

 

Armação

Entre os flagrados nos vídeos gravados por Sílvio Cezar Corrêa Araújo, o deputado José Domingos Fraga (PSD), aparentava enorme abatimento ao circular pelo Legislativo. Aos jornalistas, ele admitiu ter chorado com as imagens e disse que se trata de armação.

 

 

 

Contas

Ainda que seja uma armação e os fatos possam ser esclarecidos, é certo que Fraga não conseguirá concretizar um sonho que acalenta há vários anos, deixar o Parlamento e se tornar conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

 

 

08
07

Incerteza é 73% maior que no impeachment

Brazilian President Michel Temer delivers a speech during the launching of a new Student Financing Fund at Planato Palace in Brasilia, on July 6, 2017. Temer's lawyers presented their defence on July 5 against corruption charges that threaten to drive him from office, denying allegations that he took a $150,000 bribe from a meatpacking firm. / AFP PHOTO / SERGIO LIMA

AFP PHOTO / SERGIO LIMA

A denúncia por corrupção passiva apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra Michel Temer é de conhecimento público há quase duas semanas, mas 57% dos deputados ainda não se posicionam a favor ou contra a transformação do presidente em réu. Essa “taxa de incerteza” é muito maior agora que na época da tramitação do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, em 2016.

(mais…)

Publicicade

Publicicade