Arquivo da Tag: "ESCÂNDALO"
19
05

Blog do Mauro no Hipernotícias

 

Renúncia já!

A única saída do (ainda) presidente Michel Temer (PMDB), diante da delação dos donos da JBS, é a renúncia ao cargo. Não há neste momento a menor condição do peemedebista, acusado de ter dado o aval para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB), continuar a comandar o país, em um momento fundamental para a retomada do crescimento com a discussão de reformas estruturais.

 

Impactante

Embora tenha feito um pronunciamento negando a possibilidade de deixar o cargo, a divulgação da íntegra da delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista, que deverá ocorrer em breve, terá um efeito devastador no que ainda sobrou de seu governo. Ou ele renuncia, ou “renunciam” ele.

 

Desembarque

Do ponto de vista político, a revelação da existência das provas já provocou uma debandada na base de Temer. O PPS, que tem o Ministério da Cultura, já anunciou sua saída da base e passou a defender a renúncia, a exemplo de outros partidos. O PSDB deve seguir este caminho, embora, como sempre, esteja em cima do muro e, como se sabe, tende a cair deste muro no lado errado.

 

Sem base

Se antes tinha um contingente de parlamentares próximo ao mínimo necessário para a aprovação da reforma da previdência, agora Temer perdeu completamente as condições morais e políticas para arregimentar deputados e senadores em prol das mudanças. O Brasil entrará em uma nova paralisia, que resultará no agravamento das crises econômica e política.

 

Serenidade

Mesmo no momento histórico mais dramático da história do Brasil, é preciso ter serenidade e, como dizia o cuiabano e ex-presidente Eurico Gaspar Dutra, perguntar “o que diz o livrinho”. Conforme o artigo 81 da Constituição Federal, no caso de vacância da presidência e da vice-presidência, o presidente da Câmara assume o cargo e convoca eleições, indiretas, no prazo de 30 dias. Isso precisa ser respeitado.

 

Fortalecimento

Embora haja um esforço gigantesco de alguns setores em defender a convocação de novas eleições diretas, é o momento de não se permitir que a Constituição Federal seja rasgada a cada crise, a cada solavanco de nossa jovem democracia. Até porque, sem reformas profundas no sistema político não há nenhuma garantia de que uma eleição direta resolva os problemas do país.

 

Obstrução

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Edson Fachin, incapaz de conter um vazamento com informações do tamanho da delação dos diretores da JBS, tem se mostrado, no mínimo, “vacilante”. Ele deveria homologar com celeridade a delação, dar publicidade às provas e permitir que se tenha conhecimento do todo. O único acerto foi a abertura da investigação contra Temer por suposta obstrução à Justiça.

 

“Não renunciarei”

Temer foi enfático em seu pronunciamento e, de forma taxativa, assegurou que não renuncia ao cargo. Ele classificou as gravações como “clandestinas” e cobrou celeridade na apuração dos fatos. Contrariando a maioria dos conselhos que recebeu, decidiu não deixar a presidência.

 

No abismo

Isso representará, sem dúvida, no agravamento da crise econômica, no momento em que os brasileiros começavam a enxergar uma luz no fim do túnel. Teremos, em breve, o aumento do desemprego, a queda no poder de compra da população, sobretudo a mais pobre, e o aumento no preço dos produtos. Ou seja, a decisão de Temer dificultará ainda mais a vida do brasileiro.

 

Ele também

A delação dos diretores da JBS atingiu em cheio o senador Aécio Neves (PSDB/MG). Além de ter a irmã presa, o político foi afastado do cargo por Fachin e só não foi preso porque o ministro não aceitou o pedido do Ministério Público Federal (MPF). Diante dos fatos, o tucano deixou o comando do PSDB e, de quebra, levou à zero qualquer chance de se candidatar às eleições de 2018. A qualquer cargo.

18
05

Imprensa europeia repercute caso Temer e diz que ele pode sair do cargo

1A imprensa europeia dá destaque nesta quinta-feira (18) à notícia de que o presidente Michel Temer foi gravado por um empresário dando aval para uma suposta compra de silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na Operação Lava Jato. Os casos de corrupção no País vêm tendo bastante repercussão nos veículos de comunicação locais e o tom na região é o de que Temer pode ter de sair do cargo pouco depois de um ano de assumir.

 

LEIA A MATÉRIA NA ÍNTEGRA AQUI.

 

 

18
05

Dólar pode bater R$ 3,30 com escândalo envolvendo Temer, diz economista

1O escândalo envolvendo o presidente Michel Temer deve causar um forte estresse no câmbio e o dólar pode bater R$ 3,30, segundo o economista Helcio Takeda, da Pezco. “Esse nível é completamente possível, porém subir mais do que isso em apenas um dia eu acho pouco provável”, comenta. (mais…)

18
05

Caminho sem volta

A simples existência das gravações supostamente feitas pelo empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, do presidente Michel Temer (PMDB) dando aval para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) tira toda possibilidade de que o peemedebista, que assumiu o cargo com o impeachment de Dilma Rousseff (PT), permaneça no cargo.

 

Mala de dinheiro

A gravação teria flagrado Temer indicando o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB/PR) para resolver um assunto relacionado à holding que controla a JBS. Tempos depois o parlamentar foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil. Ele ouviu do empresário que estava ocorrendo o pagamento de uma mesada a Cunha e disse: “Tem que manter isso, viu?”.

 

Aécio também

Já o senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, foi gravado pedindo R$ 2 milhões a um dos donos da JBS. A quantia teria sido entregue a um primo de Neves, episódio também filmado.

 

Clima de velório

Tão logo foi revelada a existência da gravação, que faz parte de um acordo de colaboração firmado por Batista, pelo jornalista Lauro Jardim, o clima no Palácio do Planalto ficou semelhante a um velório. No centro do gabinete presidencial, o “corpo” de Temer, cada vez mais perto do precipício. A descrição foi passada à coluna por um integrante da base do peemedebista.

 

Ele nega

Por meio de nota, o (ainda) presidente negou ter feito qualquer tipo de solicitação para Batista em relação a Cunha. Temer admitiu ter se encontrado com o empresário em março deste ano, mas alegou que não houve nenhum diálogo que comprometesse a postura do presidente.

 

Diretas

Caso Temer renuncie, a Constituição prevê a realização de eleição indireta, por meio do Congresso Nacional. No entanto, começa a circular nas redes sociais uma imagem do ex-governador Dante de Oliveira trajando a célebre camiseta em defesa de eleições diretas. Uma eleição direta, nesta altura do mandato, não é prevista na Constituição.

 

Representação

Em Mato Grosso, o governador Pedro Taques (PSDB), que está em viagem aos Estados Unidos, protocolou duas representações contra o promotor Mauro Zaque, junto à Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ) e ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). A medida já havia sido anunciada pelo governador na semana passada.

 

Três crimes

Nas representações, Taques acusa Zaque, ex-secretário de Segurança Pública, de ter praticado três crimes: falsificação de documento público, denunciação caluniosa e prevaricação – pois teria deixado de praticar ato de ofício inerente à função ocupada.

 

Desculpas

Já o secretário do Gabinete de Comunicação do Governo, Kleber Lima, pediu desculpas publicamente à deputada estadual Janaina Riva (PMDB), por conta do compartilhamento de uma foto em que a deputada aparece de camisola. A imagem já circulava em aplicativos de smartphone para troca de mensagens antes que Lima as encaminhasse a alguns de seus contatos.

 

Cautela

É preciso que os atores do episódio dos grampos clandestinos adotem a cautela para falarem do assunto. Declarações desastradas, dadas nas últimas horas, ao invés de garantir a serenidade necessária para uma investigação séria, aumenta a histeria.

 

16
05

Blog do Mauro no Hipernotícias

 

Casa Militar no olho do furacão

A Casa Militar está no epicentro do escândalo envolvendo um suposto escritório clandestino de interceptações telefônicas. A denúncia, que ganhou as ruas na última semana, atingiu em cheio integrantes da Polícia Militar, que assinaram pedidos de inclusão de números de autoridades sem nenhuma relação com fatos investigados, no sistema de monitoramento.

 

Explicações

Aliás, há muito o que ser explicado sobre este episódio, uma vez que há muitos anos ouve-se, em padarias, supermercados e restaurantes, que a arapongagem corria solta em Mato Grosso.

 

Complexo

Ao se manifestar pela primeira vez depois da veiculação do caso no Fantástico, o promotor Mauro Zaque, que enviou o caso à Procuradoria Geral da República (PGR), disse não fazer juízo de valor a respeito de suspeitos de participação nos grampos ilegais.

 

Novos nomes

O surgimento de novos nomes, além daqueles já sabidos, de alvos da arapongagem trouxe mais dúvidas do que certezas sobre o caso. Afinal, o que liga pessoas de atividades tão diferentes, algumas sem nenhuma participação política, para que sejam grampeadas?

 

Barulho

A Assembleia Legislativa pretende fazer barulho com o caso e nesta terça-feira (16) o Colégio de Líderes da Casa se reúne para tratar do tema e de providências que poderão ser tomadas.

 

Convocação

O presidente da Casa, Eduardo Botelho (PSB) afirmou que há a possibilidade de que Zaque e o ex-promotor Fábio Galindo, ambos com passagem pela Secretaria de Estado de Segurança Pública, podem ser convocados a prestar esclarecimentos.

 

Mesmo com CPI

A medida não esvaziaria a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que será proposta pela deputada Janaína Riva (PMDB), um dos alvos dos arapongas, que pretende investigar o episódio no âmbito do Legislativo.

 

Praça Pública

A prefeita de Chapada dos Guimarães, Thelma de Oliveira (PSDB), está realizando o primeiro pregão de medicamentos na calçada, em frente à sede da prefeitura. A ideia é possibilitar à população o acompanhamento do certame, garantindo assim  total transparência no processo licitatório.

 

Doação

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, realizou uma doação de mais de R$ 114 mil para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Diamantino, no interior do Estado. O recurso é proveniente de uma indenização, recebida por Mendes, em um processo movido contra o jornalista Paulo Henrique Amorim.

 

Ofensas

Amorim foi condenado após ofender Mendes em postagens publicadas em seu blog. Logo após a publicação de uma montagem utilizando uma foto do ministro, o jornalista recebeu uma notificação extrajudicial para retirá-la do ar, o que acabou não acontecendo. Sorte da Apae.

17
02

Escolhido por Trump recusa cargo de conselheiro de segurança

National security adviser General Michael Flynn delivers a statement daily briefing at the White House in Washington U.S., February 1, 2017.  REUTERS/Carlos Barria     TPX IMAGES OF THE DAY

REUTERS/Carlos Barria TPX IMAGES OF THE DAY

Agência Ansa

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, passou por outra saia-justa. O vice-almirante Robert Harward se recusou a assumir o posto de conselheiro de Segurança Nacional, ocupado por Michael Flynn, que renunciou em meio a um escândalo envolvendo a Rússia. As informações são da Agência Ansa.

De acordo com a imprensa local, a negociação entre Trump e Harward travou porque o vice-almirante impôs como condição levar sua própria equipe e formar todas as pessoas. Harward teria feito oposição à manutenção da vice de Flynn, K.T. McFarland, no posto, como Trump tinha prometido.

(mais…)

13
12

Tribunal cassa aposentadoria do ex-juiz

SÃO PAULO, SP, (Folhapress) – O ex-juiz Nicolau dos Santos Neto, o Lalau, teve a sua aposentadoria cassada pelo plenário do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região. Lalau foi condenado pela justiça por seu envolvimento no escândalo de desvios de dinheiro da obra do Fórum Trabalhista de São Paulo.

Para cassar a aposentadoria de um juiz, é necessária a abertura de processo administrativo no qual são consideradas as condenações judiciais.  (mais…)

14
01

Justiça começa julgar escândalo dos maquinários

DEU NA GAZETA

Depois de quase três anos de idas e vindas, à Justiça Federal começa no próximo dia 22 a apreciar em definitivo a Ação Popular que tenta apontar se houve ou não irregularidades na aquisição de 705 máquinas pesadas e caminhões a um custo de R$ 241 milhões em recursos emprestados junto ao Banco do Brasil e que captou os valores no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social -BNDES, que deu margem para a apreciação ser feita em sede da Justiça Federal e também da Justiça Estadual.

LEIA A ÍNTEGRA DA MATÉRIA

 

Publicicade

Publicicade