Arquivo da Tag: "CARLOS FÁVARO"
10
07

Fávaro reafirma que no PSD não tem caciquismo

Divulgação

Por HiperNotícias

 

O presidente regional do PSD e pré-candidato ao Senado Federal, Carlos Fávaro, concedeu entrevista à Rádio Mega News do município de Nova Mutum (240 km de Cuiabá). Entre diversos assuntos, Fávaro mencionou o projeto político do PSD para as eleições deste ano e ressaltou que o partido segue orientação nacional, mas tem total autonomia para deliberar seus rumos no estado.

 

“Aqui não tem caciquismo, as decisões não são tomadas de cima pra baixo. Fizemos em Mato Grosso, por exemplo, um diretório estadual, eleito democraticamente, ouvindo as bases. Nós temos o respaldo e a apoio da decisão partidária do nosso presidente, o ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, que dá total autonomia para deliberarmos em Mato Grosso. O PSD deve convergir nacionalmente no projeto do PSDB, mas isso não impede de tomarmos outra direção, quem vai estabelecer os rumos serão os membros do diretório, as lideranças o estado”.

 

(mais…)

06
06

Fávaro classifica como fake News aliança com Sachetti

Divulgação

Por HiperNotícias

 

O presidente regional do PSD, Carlos Fávaro, negou na manhã desta quarta-feira (06), em Diamantino, que tenha fechado acordo com o deputado federal Adilton Sachetti para uma possível composição à candidatura ao Senado Federal. “As notícias, plantadas por adversários, querem confundir o eleitor e enfraquecer o projeto eleitoral do PSD, que tem ganhado força, principalmente no interior do Estado”, afirmou.

 

O presidente do PSD classificou como fake news, as notícias de que estaria negociando para abrir mão de sua candidatura e apoiar o deputado federal Adilton Sanchetti (PRB), que também almeja uma vaga ao Senado. Fávaro informou ainda que, em resposta, está trabalhando intensamente em sua candidatura, percorrendo o estado para divulgar seu projeto e recebendo o apoio de lideranças do interior.

 

(mais…)

04
06

O Brasil precisa de um pacto de governabilidade, afirma Fávaro

Diante da crise econômica que se agravou no país com a greve dos caminhoneiros, o presidente regional do PSD e pré-candidato ao Senado, Carlos Fávaro, se manifestou e disse que o Brasil precisa de um pacto de governabilidade para que os efeitos da crise não sejam ainda maiores. Para ele, o papel do Congresso Nacional é fundamental, e tanto o Senado quanto a Câmara Federal devem se reunir com os governantes para cobrar responsabilidades.

 

“A economia do Brasil estagnou, mas não somente por conta da greve, mostrou a fragilidade de um governo que não tem mais capacidade de gestão. Por isso, o Congresso Nacional, que é o guardião das grandes decisões, deve tomar frente desse processo porque senão a economia vai se desestabilizar ainda mais e serão os brasileiros que pagarão essa conta. Tenho muito receio que todo esse movimento resulte em uma queda da força econômica, falência de empresas e atraso de salários”, pontuou.

 

Fávaro fez questão de ressaltar que o direito à manifestação é legítimo e ocorreu pela falta de diálogo. “Eu já vivi um momento como esse, quando em 2005, participei do movimento do agronegócio no ‘Grito do Ipiranga’, mas depois percebemos que não tivemos grandes resultados. Agora, aparentemente, os caminhoneiros conseguiram obter as reivindicações pleiteadas, mas isso terá desdobramentos muito difíceis para o Brasil”, disse ele, que já presidiu a Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado (Aprosoja-MT).

 

(mais…)

29
05

Artigo – Mato Grosso para os mato-grossenses

Por Carlos Fávaro

 

Aprendi muito cedo, como filho de pequenos produtores, a tirar da terra o fruto que alimenta o corpo. Foi plantando e colhendo que me fiz homem e formei minha personalidade e caráter. Dali para a associação, para o cooperativismo e, de repente, me vi vice-governador do Estado que mais amo. Assim, posso dizer que conheço o trabalho, o trabalhador, as organizações dos trabalhadores e a governança.

 

Neste caminhar da vida aprendi que ouvir é mais importante que falar. Não há mágica na atividade pública. O dinheiro público vem do povo, e é para o povo que deve voltar. Ouvir, planejar e agir tem que ser uma constante para quem tem a intenção de representar as pessoas.

 

Ninguém conhece tudo. E quem mais conhece é quem está vivendo o problema. Por isso tem que ser ouvido. Mato Grosso é gigante em todos os sentidos: território, riquezas naturais, gente empreendedora. Mas também se aplica a mesma grandeza para analisar as diferenças sociais, econômicas e de acesso à dignidade da vida social. Por isso temos que pensar um Mato Grosso para todos os mato-grossenses. (mais…)

05
05

“Até casamento se desfaz, imagine aliança política”, diz Taques

Por Felipe Leonel

HiperNotícias

 

Destaque na mídia nacional por “perder” mais de 30 ex-aliados, o governador Pedro Taques (PSDB) se mostra indiferente quando questionado sobre a debandada de ex-apoiadores. Dentre eles, o ex-vice-governador Carlos Fávaro, que renunciou ao cargo e já está no barco da oposição, do senador e pré-candidato ao Governo do Estado, Wellington Fagundes (PR).

 

“Eu não excluo os aliados, estão conosco é porque querem estar conosco. Até casamento se desfaz, imagina aliança política”, afirmou o governador Pedro Taques, durante evento de lançamento da obra da ponte do bairro Parque Atalaia, em Cuiabá, ao Parque do Lago, em Várzea Grande, próximo ao Aeroporto Internacional Marechal Rondon.

 

Em uma reportagem do jornal impresso Folha de S. Paulo, destaca o manifesto, liderado pelo ex-vice-governador Carlos Fávaro, contra a reeleição do governador. Ainda destaca a perda de apoio do DEM, PV, PP e PDT, partido pelo qual foi eleito. Além de Fávaro, ex-secretários que tinham acabado de sair do governo também assinaram o documento.

 

(mais…)

03
05

Com apoio dos deputados, PSD reelege Fávaro presidente do diretório estadual do partido

Por HiperNotícias

 

O Partido Social Democrático (PSD-MT) realizou nesta quarta-feira (02), as eleições para o Diretório Estadual, que definiu a chapa “Novas Ideias para um Novo Tempo para liderar a sigla pelos próximos dois anos”. Por unanimidade, Carlos Fávaro foi reconduzido à presidência estadual do partido e a nova comissão executiva foi escolhida. “Seguindo o compromisso de acabar com o caciquismo no PSD, realizamos de forma democrática a eleição do diretório estadual”, afirma Fávaro.

 

O Diretório Estadual é composto por 51 membros e 17 suplentes. O comparecimento foi de mais de 80% da antiga comissão provisória, que tem direito a voto. Os cinco deputados estaduais do PSD, Wagner Ramos, José Domingos Fraga, Pedro Satélite, Ondanir Bortolini (Nininho) e Gilmar Fabris também estiveram na sede do partido e votaram a favor da nova diretoria. “Foi um consenso, uma chapa que reúne as principais lideranças e sem dúvida nenhuma, um partido forte, unido, que vai agora desenvolver um trabalho para as eleições de 2018”, conclui o deputado estadual Nininho.

 

Com a escolha da nova executiva, o PSD Mato Grosso mostra a unidade dentro do partido em torno da pré-candidatura ao Senado Federal de Carlos Fávaro e se compromete em trabalhar para a formação de um chapão nas eleições proporcionais de deputados estaduais e federais. “Este processo interno demonstra claramente que o PSD está unido e forte como sempre dissemos”, pontua Fávaro.

 

(mais…)

27
04

PSD confirma apoio a Wellington Fagundes, diz presidente do PTB

Por HiperNotícias

 

O presidente do PTB em Mato Grosso, ex-prefeito de Cuiabá, Chico Galindo, afirmou que o PSD vai apoiar a candidatura do senador Wellington Fagundes (PR) ao Governo do Estado. “O PSD soma-se ao grupo de oposição e passa a participar da construção do projeto de pré-candidatura ao governo do senador Wellington Fagundes”, afirmou o ex-prefeito.

 

A decisão foi anunciada nessa quinta-feira (26.04), durante reunião realizada no escritório do senador Wellington, em que participaram, além dos cinco partidos que já faziam parte do grupo de oposição (PR, MDB, PC do B, PTB e PP), o PSD, representado pelo ex-vice-governador, Carlos Fávaro, e o presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios, Neurilan Fraga, o vice-prefeito de Cuiabá, Niuan Ribeiro.

 

“O projeto da pré-candidatura de Wellington Fagundes está crescendo. A chegada do PSD engrandece o projeto, que é novo e visa o desenvolvimento do Estado”, diz Galindo.

 

(mais…)

27
04

DEM não lançará candidato ao Governo

O Democratas abre mão, mais uma vez, do protagonismo eleitoral. O partido perdeu o “time” com a indefinição das candidaturas de Mauro Mendes e de Jayme Campos. Tudo indica que o DEM vai se contentar em apoiar outras candidaturas como a do governador Pedro Taques (PSDB) ou do senador Wellington Fagundes (PR).

 

Com Fávaro

O republicano Wellington Fagundes avança e amplia sua base de apoio. O senador que já tinha o PR, o PMDB e o PP, entre outras siglas partidárias, fechou entendimento com o PSD e terá o ex-vice-governador, Carlos Fávaro, numa das vagas da disputa.

 

Propaganda

A se confirmarem as alianças partidárias até agora sinalizadas, a candidatura de Wellington Fagundes ao Governo é a que deverá ter mais tempo de rádio e televisão no horário de propaganda eleitoral. Muito mais tempo que a campanha a reeleição do governador Pedro Taques.

 

Impeachment

O governador de Minas, o petista Fernando Pimentel, sobre um processo de impeachment no legislativo mineiro. Os motivos arguidos são o escalonamento de salários, os atrasos nos repasses do duodécimo aos poderes, bem como de ICMS e outras verbas aos municípios.

 

Gcom-MT

Tranquilo

O tucano Pedro Taques, que enfrenta dificuldades semelhantes na gestão dos recursos públicos em Mato Grosso, está longe de ter seu mandato ameaçado por um processo de impeachment. Taques mantém ampla maioria no Legislativo e conta com a generosa compreensão do Judiciário.

 

Dois discursos

Em Minas, o PT defende Pimentel e responsabiliza a crise econômica nacional pelas dificuldades estaduais. Em Mato Grosso, o discurso petista acusa Pedro Taques de incompetência na gestão do Estado.

26
04

Fabris considera assinatura de Fávaro uma “bravata”

Para o líder do PSD na Assembleia Legislativa, deputado estadual Gilmar Fabris, o fato de o ex-vice-governador, Carlos Fávaro, ter assinado o manifesto das lideranças que não apoiam o projeto de reeleição do governador Pedro Taques (PSDB), pode ser considerado uma “bravata”. Fabris acredita que Fávaro caminhará com o tucano no processo eleitoral deste ano, embora neste momento prefira o afastamento. A declaração foi dada e, entrevista à Rádio Capital, nesta quinta-feira (26).

 

O deputado ainda afirma que Fávaro decidiu pelo afastamento em virtude de sua campanha ao Senado, mas também porque teve interesses não atendidos pela atual gestão. Fabris explica que um dos motivos do descontentamento seria a forma de gestão do Fundo de Transporte e Habitação (Fethab), uma vez que é ligado ao setor do Agronegócio.

 

Carlos Fávaro foi um dos 31 ex-aliados de Taques que assinaram o documento que explica as razões pelas quais não apoiariam o projeto do tucano. Entre as justificativas estão a precarização da saúde pública, não cumprimento de promessas de campanha, gestão ineficiente, falta de verdade, quebra das finanças do estado e escândalos e fortes indícios de corrupção na atual gestão.

 

(mais…)

17
04

Caminho tomado pelo PSD é sem volta, diz Toninho

O vereador Toninho de Souza (PSD), em entrevista concedida na manhã desta terça-feira (17) à Rádio Capital FM, afirmou que a decisão tomada pelo partido de se desvincular do governo Pedro Taques (PSDB) é um caminho sem volta. Conforme o pessedista, esse seria um erro que a população não perdoaria. O ápice desta decisão foi a renúncia, por parte do então vice-governador Carlos Fávaro, do cargo.

 

“Abrir mão da vice, da condição política, para depois voltar a discutir uma possibilidade de composição com o governo, não dá para admitir. A sociedade acompanha e não perdoa erros na política. A posição é definitiva de rompimento mesmo, político e de futuro. A partir daquele momento tomou a decisão de discutir um projeto alternativo para Mato Grosso. A sociedade deseja um projeto alternativo para votar. Pode até ser que vote em Pedro Taques, mas nesse momento deseja um projeto alternativo”, analisou.

 

Questionado sobre o fato de o PSD não ter colocado claramente sua posição de oposição ao governo, uma vez que o presidente do partido, Carlos Fávaro, trata o afastamento como necessário para um condição de independência da legenda, o vereador ponderou que “passos estão sendo dados neste sentido”.  “Deu-se um grito de liberdade, não foi colocado claramente na imprensa isso, mas foram passos dados em direção a esse projeto alternativo e nosso presidente tem sido firme nesse propósito”.

 

(mais…)

Publicicade

Publicicade