Arquivo da Tag: "CALOTE"
17
07

“Governo está dando calote nas prefeituras”, afirma o presidente da AMM

Por Danna Belle

HiperNotícias

 

O presidente da Associação Mato-Grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga (PSD), afirmou que os prefeitos estão recebendo “calote” por parte do Governo do Estado ao investirem os recursos próprios para conserto e construção de pontes, convencidos pela promessa de Pedro Taques (PSDB) de ressarcir as Prefeituras, mas o repasse não acontece.

 

“Pior ainda é que o prefeito chega no secretário Marcelo [Duarte], pede e faz pressão. O secretário fala: ‘Faz a ponte lá prefeito, que eu vou te dar tantos mil litros em óleo diesel’. O prefeito faz um plano de trabalho, assina e não recebe o óleo diesel. A Secretaria de Infraestrutura, por meio do secretário Marcelo, está dando calote porque chega no posto não tem o crédito para usar o óleo diesel”, disparou em entrevista à Rádio Capital 101,9 FM na manhã desta terça-feira (17).

 

(mais…)

27
10

Para pagar salários, governo do RS deve sacrificar repasses de áreas essenciais

1O governo do Rio Grande do Sul planeja anunciar nesta quarta-feira, 28, o pagamento integral do salário de outubro dos servidores estaduais ligados ao Executivo. Após parcelar a folha de julho e de agosto, o governo honrou os vencimentos de setembro na data prevista, mas manteve em aberto o quadro para os meses seguintes, por causa do prolongamento da crise financeira do Estado.

Embora os técnicos da Secretária da Fazenda continuem fazendo contas, a tendência é de que os salários sejam pagos em dia. A consequência direta será sacrificar todos os outros compromissos como repasses a prefeituras, escolas, hospitais e fornecedores. Só na área da saúde, a conta pendurada passa de R$ 200 milhões.

(mais…)

23
08

A crise sem fim do governo Silval

Desde que assumiu o Governo, em janeiro de 2011, que Silval Barbosa (PMDB) se debate com as dificuldades financeiras do Estado. Em meados do ano passado o governador reconheceu a existência de “um descontrole fiscal” e um déficit estimado em R$ 1 bilhão. Mas foi preciso denúncias públicas de um calote institucionalizado, feitas por fornecedores e prestadores de serviço para que o governo admitisse as dificuldades.

Silval assumiu para si a tarefa de gerenciar o caixa. Contingenciou o orçamento e vinha pagando a conta gotas os compromissos com seus credores. A gestão de caixa feita pelo governador não funcionou e a crise volta a se agravar. Nesta quarta-feira o líder do governo na Assembléia, Romualdo Junior (PMDB) precisou esforçar-se para aplacar a ira dos deputados, inclusive da base governista.

O governo voltou a institucionalizar o calote. A inadimplência atinge não apenas fornecedores e prestadores de serviços, mas também a saúde pública, a segurança e a maioria das Pastas. Até mesmo o repasse do duodécimo constitucional do Legislativo está comprometido pelo pagamento irregular. Se não tivesse a maioria no Parlamento, Silval já teria sido objeto de impeachment. (mais…)

Publicicade

Publicicade