27
06

Taques dispara que não fará do PS um VLT

Por HiperNotícias

 

O governador Pedro Taques (PSDB) afirmou que não cometerá o erro da gestão anterior em adquirir itens antes da obra estar finalizada, ao comparar a compra de equipamentos para o novo Hospital Pronto Socorro de Cuiabá com a aquisição dos vagões do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

 

“Nós não íamos fazer igual ao governo passado que comprou o vagão antes de terminar a obra”, alfinetou.

 

Em 2017, um acordo foi realizado entre Governo, Prefeitura e bancada federal no Congresso Nacional, destinando R$ 82 milhões em recursos de emendas parlamentares para o setor da saúde de Mato Grosso, como se fosse um empréstimo. Por isso, o Estado ficou responsável pela aquisição de equipamentos a serem instalados no novo PS.

 

Nove vereadores por Cuiabá instauraram uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os problemas da Saúde, entre eles o atraso na inauguração do hospital que desafogará as outras unidades de saúde do município.

 

Quando questionado sobre a CPI, Taques respondeu “eu respeito os vereadores, agora os vereadores de Cuiabá precisam lembrar que quem decidiu fazer o pronto socorro fui eu. O Estado deu R$ 50 milhões, portanto neste ponto eu não estou devendo absolutamente nada”.

 

A previsão de entrega da unidade hospitalar era 8 de abril deste ano em alusão ao aniversário de Cuiabá, porém foi adiada por um ano, de acordo com declaração dada na segunda-feira (25), pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB).

 

Sobre a conclusão da obra, Taques assegura que não é por falta de dinheiro e acredita que o prefeito não adiou a inauguração com intenção de prejudicar a atual gestão do Estado que poderá não ser a mesma na data da entrega do PS.

 

“O cidadão cuiabano sabe que esta obra o governo do Estado deu R$ 50 milhões. Sem o governo do Estado esta obra não estaria como está, com 80% pronta”, finalizou.

Comentários

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Publicicade

Publicicade