07
04

Selma revela ameaça 15 dias antes de se aposentar

Por Felipe Leonel

HiperNotícias

 

A juíza aposentada Selma Arruda (55), pré-candidata ao Senado Federal pelo PSL, partido do presidenciável Jair Bolsonaro, disse ter sido ameaçada 15 dias antes de pedir sua aposentadoria. Enquanto magistrada, ela foi responsável pela prisão de políticos importantes como o ex-governador Silval Barbosa e o ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Geraldo Riva.

 

Ela deverá ficar com escolta armada, por alguns meses, por orientação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). “15 dias antes de me aposentar, recebi a última ameaça”, disse ela, dando uma gargalhada depois. “É realmente perigoso entrar para a vida política, pois você precisa se expor e andar sem escolta. É muito perigoso”, completou.

 

Em 2017, a juíza foi uma das entrevistas do programa Fantástico, no qual relatou a vida de magistrados ameaçados no território brasileiro. À época, ela andava com nove seguranças (policiais militares) armados que a protegiam 24 horas por dia. Ela disse, inclusive, que já chegou a dormir com arma no colo e engatilhada.

 

“No meu caso, é uma questão de meses, imagino. Se as ameaças cessam, você vê que não tem necessidade. Mas recebi uma muito recente, eu prefiro não divulgar. Não é por nada. No mundo criminal, quanto mais você divulga, mais você enobrece o criminoso, então é melhor não divulgar”, afirmou ela.

 

Justiça e palanque

Selma também negou ter utilizado o cargo de juíza para se promover politicamente e, que para isso, precisaria “fazer decisões do nada”. “As decisões foram tão fundamentadas que depois as pessoas confessaram ao final, apontaram para os comparsas. Isso me deixou tranquila, pois o que eu fiz na magistratura, fiz baseado em documentos e testemunhas”, comentou.

Comentários

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Publicicade

Publicicade