08
06

MDB quer Juarez Costa para vice de Fagundes, garante deputado

O MDB vem trabalhando fortemente para garantir a indicação do ex-prefeito de Sinop, Juarez Costa, para a vaga de vice-governador na chapa encabeçada pelo senador Welligton Fagundes (PR) na disputa ao Palácio Paiaguás. Segundo o deputado federal Valtenir Pereira (MDB), o nome de Juarez é unanimidade dentro da legenda.

 

“O Juarez já mostrou em Sinop que é um bom tocador de obras, um prefeito realizador. Como vice-governador vai ajudar muito o senador Wellington Fagundes. Vai somar para tirar Mato Grosso das dificuldades”, disse.

 

Pereira lembrou que enquanto prefeito de Sinop, Juarez tinha uma boa relação com a bancada federal, o que garantiu o aporte de R$ 1 bilhão para o município. “Hoje Sinop é uma cidade moderna. Juarez fez uma revolução nos oito anos que em esteve à frente de Sinop. Então entendemos que ele agregaria muito para ajudar na gestão do estado, nesse momento difícil, já que é um político e bom gestor. Está tudo sendo bem conversado. Temos várias conversas junto a todos os partidos. Estamos tendo tranquilidade e calma para poder conduzir o processo”.

 

Wellington Fagundes declarou recentemente que o MDB teria preferência na indicação do vice na chapa, uma vez que esteve desde o princípio apoiando o projeto do republicano ao governo. O republicano conta com um arco de alianças formado por  MDB, PP, PCdoB, PTB, PSD, além do PR.

 

Se a maioria do MDB aposta em Juarez, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro destoa da maioria. Para o gestor da Capital, Fagundes deveria escolher um vice da Capital, visto que a base eleitoral do republicano é a cidade de Rondonópolis, interior do estado. Para Pinheiro, um vice de Cuiabá garantiria votos no maior colégio eleitoral de Mato Grosso.

 

Outro fator que pode pesar contra Juarez Costa é o fato de ter sido alvo da Operação Sorrelfa, desencadeada pelo Ministério Público Estadual em 2016, que investigou indícios de crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Além de Juarez, a esposa do ex-prefeito, Ivone Latanzi, também foi alvo de busca e apreensão.

 

À época, Juarez acusou adversários políticos de estarem por trás da investigação sobre os imóveis que possui em Santa Cataria, na cidade de Balneário Camboriú.

 

Senatória

Quanto a acomodação de todos aqueles interessados em disputar ao Senado Federal e que fazem parte do arco de alianças, Pereira afirmou que o impasse será resolvido com bastante diálogo, uma vez que existem quatro possíveis candidatos e apenas duas vagas para disputa.

 

Hoje, se colocam como pré-candidatos o ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD), a empresária Margareth Buzetti (PP), a ex-reitora da UFMT, Maria Lúcia Cavalli Neder (PCdoB) e o deputado federal Carlos Bezerra (MDB), embora seus familiares entendam que o melhor caminho seria disputar à reeleição ao cargo de federal.

 

“Embora ainda não esteja definido, o nome do Carlos Fávaro é unaminidade no grupo. Estamos amadurecendo essa questão. A gente vai dialogando e as coisas vão se afinando”.

 

Valtenir Pereira não revelou que método o grupo adotará para escolher quem serão os dois candidatos à senatória.

Comentários

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Publicicade

Publicicade