05
04

Juíza assina filiação e confirma disputa ao Senado

Por Felipe Leonel e Max Aguiar

HiperNotícias

 

Ao lado do deputado Victório Galli, a magistrada aposentada Selma Arruda confirmou sua filiação ao PSL, partido do pré-candidato a presidente da República, Jair Bolsonaro. Em entrevista coletiva concedida à imprensa, na tarde desta segunda-feira (5), a juíza confirmou que irá disputar uma vaga ao Senado Federal, nas eleições de outubro.

 

Para os jornalistas, a magistrada não escondeu que é a favor da liberação de armas para pessoas de bem, assim como Bolsonaro. Disse que está preparada para os ataques e que sabe que um possível “comitê da maldade” esteja planejando coisas para lhe denunciar.

 

Selma Arruda também não escondeu que seu perfil é para legislar e não aceitaria um possível convite para o Executivo. Ela deverá focar seu discurso no combate à criminalidade e à corrupção. Vale lembrar que à frente da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, a juíza assinalou a ordem de prisão contra vários figurões de Mato Grosso, dentre eles o ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva e o ex-governador Silval Barbosa.

 

Segundo a magistrada, ela resolveu ingressar na política porque ficou cansada de reclamar. Ainda disse que as decisões proferidas por ela, enquanto juíza, não surtiam o efeito desejado na sociedade e, portanto, resolveu tentar mudar as leis brasileiras. Selma foi juíza por 22 anos em Mato Grosso.

 

“Só tive certeza quando proferi uma sentença de 470 laudas na Sodoma I. E nessa sentença, por mais que eu tenha proferido aqui, ela não trouxe nenhuma Justiça. Porque as imposições da lei não deixavam e nem mostravam as coisas mudando. Foi esse motivo que me levou a dizer: vou arregaçar as mangas. Por isso estou aqui”, comentou a pré-candidata.

Comentários

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Publicicade

Publicicade