11
01

Governo consegue quitar 100% da folha salarial de dezembro

O Governo do Estado anunciou a quitação completa da folha salarial nesta quinta-feira (11). A liquidação da folha de dezembro ocorre com um dia de atraso, levando em consideração o que prevê a legislação. Os valores devem estar disponíveis nas contas dos servidores às 20 horas. Recebem hoje os servidores lotados nas Secretarias de Educação, Fazenda, Planejamento, Casa Civil, Comunicação e nos gabinetes do Governador e da Vice-governadoria.

 

Os demais servidores já haviam recebido os vencimentos nesta quarta-feira, o que representou 65,75% da folha. Aposentados e pensionistas receberam na última terça.

 

A folha líquida de dezembro de todos os servidores em atividade, inativos e das indiretas soma R$ 519,659 milhões. Deste montante, R$ 158,659 milhões cobriram o pagamento dos aposentados e pensionistas, sendo que 59% foram aportados pelo Tesouro para cobrir o déficit financeiro da previdência.

 

Até o último dia 9 o Governo não tinha previsão financeira para fechamento da folha. No entanto, conforme informou a Secretaria Estadual de Fazenda, houve entrada de receita no final desta quarta-feira, o que possibilitou o pagamento total dos servidores. A origem da receita e a quantia não foram informadas pela pasta.

 

O Governo do Estado chegou a realizar uma reunião com o Sindicato dos Trabalhadores da Educação pública (Sintep) para negociar o pagamento dos salários atrasados e assim evitar prejuízo. O presidente do Sindicato, Henrique Lopes, exigiu que juros fossem acrescidos ao valor do salário em razão do possível atraso. Professores não descartam greve caso os salários voltem a atrasar.

O Executivo estadual trabalha no sentido de voltar a pagar os salários dentro do mês trabalhado, como acontecia até setembro de 2016.

 

Duodécimos

 

Agora o Governo do Estado vem sendo pressionado para quitar o duodécimo atrasado. A Defensoria Pública já recorreu ao Supremo Tribunal Federal pelos valores e o Tribunal de Justiça fez uma cobrança pública ao Executivo. O Judiciário cobra o repasse referente aos meses de novembro e dezembro do ano passado.

Comentários

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Publicicade

Publicicade